Resenha: A Viagem do Tigre – Colleen Houck

/Editora Arqueiro/Resenhas/

A-Viagem-do-Tigre-estante-dos-sonhosEditora: Arqueiro
Autor: Colleen Houck
ISBN: 9788580411133
Edição: 1
Número de páginas: 496
Acabamento: Brochura
Compre: Amazon
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Perigo. Desolação. Escolhas. A eternidade é tempo demais para esperar pelo verdadeiro amor?
Em sua terceira busca, a jovem Kelsey Hayes e seus tigres precisam vencer desafios incríveis propostos por cinco dragões míticos. O elemento comum é a água, e o cenário de mar aberto obriga Kelsey a enfrentar seus piores temores.
Dessa vez, sua missão é encontrar o Colar de Pérolas Negras de Durga e tentar libertar seu amado Ren tanto da maldição do tigre quanto de sua repentina amnésia. No entanto o irmão dele, Kishan, tem outros planos, e os dois competem por sua afeição, além de afastarem aqueles que planejam frustrar seus objetivos.
Em A Viagem do Tigre, terceiro volume da série A maldição do tigre, Kelsey, Ren e Kishan retomam a jornada em direção ao seu verdadeiro destino numa história com muito suspense, criaturas encantadas, corações partidos e ação de primeira.
A épica saga dos tigres já foi lançada em 18 países e ocupou os primeiros lugares na lista dos mais vendidos do The New York Times.
“A viagem do tigre alterna com maestria uma aventura extraordinária e um romance delicado. A história vai agradar a todos os fãs da série, que irão aguardar ansiosos pelo quarto livro.” 
Booklist

Minhas Impressões

Simplesmente de tirar o fôlego, empolgante e com cenas de ação que deixa o coração disparado e te pega de surpresa a cada novo acontecimento.

Gente, fala sério a cada livro a Colleen Houck consegue inovar mais ainda sua forma magnífica de escrever, tem tantos detalhes bem explicados que você se sente dentro do livro acompanhando tudo como uma mosquinha de muita sorte. Mesmo sendo tão detalhado para quem conhece o trabalho da autora sabe que não fica algo enjoativo que você quer ir logo para frente, ao contrário, os detalhes prendem a atenção de uma forma empolgante.

Esse livro foi muito intenso para Kelsey, como tinha dito na resenha do volume anterior (O Resgate do Tigre) sobre o amadurecimento dela e isso continua em alguns pontos, ela está mais confiante, madura e esperta também.

E em relação a esses irmãos que são de parar o trânsito, eles continuam lindos, maravilhoso, malhados e de tirar o fôlego como de costume. Só que a Kells ficou meio bobona quando o assunto envolve os dois, sempre usando o Kishan como estepe do Ren. Eu simplesmente amo o jeito Bad Boy do Kishan, o que sumiu nesse livro, apesar de ter adorado o amadurecimento dele ao decorrer da historia, mas com isso ele sofre por causa do amor que sente pela Kelsey e muitas vezes parece capacho dela. Só pegando as sobras do Ren (pobre Kishan…).

Sendo o primeiro em que eles saem em missão os três juntinhos, porque o primeiro livro da saga é focado em Ren & Kelsey, no segundo livro já é Kishan & Kelsey, já nesse terceiro volume vem Ren & Kelsey & Kishan.

Uma coisa que eu percebi é que no decorrer da historia você vê e sente que a presença do Kishan é brutalmente diminuída. Poxa Colleen, isso não dá, ele também tá amaldiçoado meu povo, agora tira o cara só porque o Ren ta presente? Quando seria a grande chance dos leitores verem os dois juntos e sentirem a relação deles como irmãos, e não só com a Kells.

Acho que ficou um pouco forçado a Kelsey ter que ficar com alguém. Poxa aproveitasse a solteirice não para ir agarrando ate o leiteiro, mas para por as ideias em ordem e talz, tem um tempo pra ela também. Mas por outro lado pensei, será que com isso a autora não queria demonstrar o PAVOR evidente que ela tem de ficar sozinha após a morte dos pais? Não sei, só a Tia Colleen para responder essa.

A aventura desse livro eles devem encontrar o terceiro presente para que os irmãos tenham mais 6 horas como homens, afim de acabar com essa maldição que assola nossos tigres. O presente será o Colar de Durga, e para isso devem passar por Dragões, 05 sendo mais especifica. A descrição do domínio de cada um é de tirar o fôlego, e as provas que nossos personagens devem cumprir para poderem avançar até o próximo Dragão também são legais de se ler, algumas são realmente difíceis, outras são relax.

O que como sempre não deixa nada a desejar é as impecáveis pesquisas sobre os mitos e mitologias feitas pela autora e colocadas no livro. A da Lady Bicho de Seda é muito triste, até na época dela o amor não era fácil. Uma nova historia de Durga também é apresentada a nós, todas simplesmente ótimas. Como eu adoro história essa parte nos livros para mim é a mais aguardada.

O final dele foi simplesmente muuuuuito legal, Colleen deu uma reviravolta muito boa. Da vontade de coloca ele na cama e já correr pra livraria e compra o próximo e continuar lendo. O que eu já vou fazer agora!

Resenha: O Resgate do Tigre – Colleen Houck

/Editora Arqueiro/Resenhas/

o-resgate-do-tigre-estante-dos-sonhosEditora: Arqueiro
Autor: Colleen Houck
ISBN: 9788580410617
Edição: 1
Número de páginas: 288
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Fé. Confiança. Desejo. Até onde você iria para libertar a pessoa amada?
Kelsey Hayes nunca imaginou que seus 18 anos lhe reservassem experiências tão loucas. Além de lutar contra macacos d’água imortais e se embrenhar pelas selvas indianas, ela se apaixonou por Ren, um príncipe indiano amaldiçoado que já viveu 300 anos. Agora que ameaças terríveis obrigam Kelsey a encarar uma nova busca – dessa vez com Kishan, o irmão bad boy de Ren –, a dupla improvável começa a questionar seu destino. A vida de Ren está por um fio, assim como a verdade no coração de Kelsey. Em “O resgate do Tigre”, a aguardada sequência de “A maldição do tigre”, os três personagens dão mais um passo para quebrar a antiga profecia que os une. Com o dobro de ação, aventura e romance, este livro oferece a seus leitores uma experiência arrebatadora da primeira à última página.

Minhas impressões

Deslumbrante, totalmente inebriante de sensualidade e envolvente nos momentos de aventura. O que mais posso te pedir Tia Colleen?”

Devo confessar que depois de terminar (A Maldição do Tigre) de uma maneira tão intensa que meu coração ficou na Índia (literalmente), me senti entusiasmada para começar a leitura do Segundo Volume. Porém, também senti um pouco de receio, principalmente depois de ver tantas criticas negativas sobre a continuação. Não pelo seu conteúdo em si, mas pelo descontentamento de vários leitores em relação ao casal central do livro (Ren e Kelsey). Tive aquele medo que todas nós temos de se quebrar aquela imagem perfeita que criamos ao decorrer da narrativa desses personagens que se tornam uma extensão de nós mesmos através dos livros, por isso demorei mais que o normal para fazer essa resenha.

Mas deixei tudo isso de lado, ao perceber que a maioria dessas pessoas estavam com preconceito, pois 90% delas não tinham se dado ao trabalho de ler esse maravilhoso livro, e devo confessar que fiquei muuuuuuuito feliz de ter seguido minha vontade de saber para onde tudo isso iria repercutir.

Sendo bem direta com vocês, esse segundo volume em meu ponto de vista não deixou nadinha a desejar. Diferente da maioria, desde o primeiro livro quando Kishan apareceu me tornei sua fã. Sei que o Ren é tudo de bom, um romântico perfeito, que deixa qualquer garota boba com seus poemas e olhar de Tigre sem dono, mas quando o Kishan aparece (Papai do Céu me ajude…) o mundo se torna apenas “Kishan”. Ele se tortura pelos seus erros do passado, e não deixa que ninguém o ajude a superar isso, ele é tão vitima quanto o Ren (to parecendo a Kelsey falando isso -.-), mais joga todo a culpa nas próprias costas e segue calado sem aceitar ajuda de ninguém.

Achei justo nesse Segundo Volume a Kelsey passar por todos esses momentos ao lado do Kishan, não por torcer por ele, mas sim por a autora proporcionar uma amplitude na perspectiva da Kelsey. Afinal de contas todos tem direito de ter uma oportunidade no amor. É realmente triste o que acontece com Ren, chorei nessa parte (sou meio chorona mesmo hihihi), todas temos nossos corações partidos junto com a Kelsey, fiquei tão triste que tive que parar de ler, chorar e depois continuar.

Isso nessa saga que me deixa feliz de ter tido essa oportunidade de ler esses livros, a Colleen escreve de uma forma tão envolvente que te prende não como a personagem em si, mas como se você estivesse lá do lado deles, vendo tudo acontecer (mesmo que invisível) sente-se até a tensão no ar das conversas. Fora que a descrição dos lugares estão ficando melhores que no anterior, se é que isso é possível. Eu me sinto de férias na Índia, tirando toda a parte chata de andar, se perder, não entender a língua, etc.

Nesse livro temos mais descrições sobre o vilão Lokesh, e aprendemos que ele é realmente muito mal, mais do pensei sobre ele no primeiro livro.

Kishan consegue finalmente se abrir com Kelsey sobre todo passado, Yesubai, a traição e a culpa que sente por tudo que aconteceu com a família dos dois, especialmente a morte de seu pai.

Outro ponto positivo que simplesmente amei, foi como a Kelsey amadureceu do primeiro para o segundo livro. Como vocês devem se lembrar que eu disse na resenha do Volume Um, ela era muito infantil, meio boba e imatura. Mas ela mudou muito, e não de uma forma brusca, mas gradativamente, acho que a dor da partida ao final do primeiro livro deu o pontapé inicial para esse amadurecimento.

A aventura do Segundo Presente é simplesmente de tirar o fôlego, me pegava arquejando sem ar, nos momentos tensos que esses dois (Kelsey e Kishan) passaram para conseguir o presente de Durga, e o resgatarem Ren.

Como no primeiro teve o nível certo entre romantismo e aventura que da uma apimentada especial no livro, e fica simplesmente irresistível. Dei ótimas risadas, chorei e amei toda a narrativa do começo ao fim.

… A canção começou sombria e solitária, mas depois ficou doce e cheia de esperança. Eu tinha a sensação de que meu coração batia no mesmo ritmo da música. As emoções tomaram conta de mim à medida que a canção contava sua história. O final era melancólico e triste. Tive a sensação de que meu coração se partia. E foi aí que ele parou.
Abri os olhos.
– O que foi isso? Nunca ouvi nada assim!
Ren suspirou e pousou o bandolim com cuidado na mesa.
– Eu a compus depois que você viajou.
Você fez isso?
– Fiz. O nome é “Kelsey”. É sobre você… sobre nós. É a nossa história juntos.
– Mas o final é triste.
Ele passou a mão nos cabelos.
– Foi assim que me senti quando você partiu…”

… Senti uma gota de chuva no meu rosto e o susto me acordou, me trouxe à superfície. Ergui a mão e enxuguei a gota.
– Está chovendo? Não pensei que chovesse aqui.
Ele não respondeu. Outra gota caiu em minha testa.
– Kishan?
Olhei para ele e percebi que não eram gostas de chuva, mas lágrimas.
Seus olhos dourados estavam cheios de lágrimas.
Perplexa, levei a mão ao seu rosto.
– Kishan? Por que você está chorando?
Ele sorriu debilmente.
-Pensei que a tivesse perdido, Kells…”

Resenha: A Maldição do Tigre – Colleen Houck

/Editora Arqueiro/Resenhas/

a-maldicao-do-tigre-estante-dos-sonhosEditora: Editora Arqueiro
Autor: Colleen Houck
ISBN: 9788580410266
Edição: 1
Número de páginas: 352
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Paixão. Destino. Lealdade. Você arriscaria tudo para salvar seu grande amor?
Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco.
Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele.
O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço.
Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.

Minhas impressões

A maldição do tigre é o primeiro volume de uma saga fantástica e épica, que apresenta mitos hindus, lugares exóticos e personagens sedutores. Lançado originalmente como e-book, o livro de estreia de Colleen Houck ficou sete semanas no primeiro lugar da lista de mais vendidos da Amazon, entrando depois na do The New York Times.

Venho falar para vocês hoje desse incrível livro lançado pela nossa maravilhosa parceira a Editora Arqueiro. Mundialmente conhecido com milhares de exemplares vendidos pelo mundo, tem tudo para se tornar uma saga fenômeno em vendas e no gosto dos leitores.

Para começar o que mais chamou minha atenção foi a sinopse do livro, pois lembra minha historia da Disney preferida “A Bela e a Fera” com um certo tom de modernidade que me agradou e muito. A narrativa da autora é ótima e nada cansativa, fiquei praticamente até 05:00 da manhã sem largar o livro, extasiada pela aventura em que os personagens se metem e nos levam com eles e a explosão sentimental em volta dos personagens.

Primeiramente conhecemos Kelsey “Kells” uma adolescente de 17 anos, órfã que encontra um lindo Tigre Branco no seu primeiro emprego em um Circo que está passando pela cidade chamado Dhiren “Ren”, que irá fazer com que velhos sentimentos voltem a aflorar em seu coração. Porém mais tarde ela descobre que esse lindo Tigre Branco, se torna um Moreno, Alto, Bonito e Sensual (desculpem, não resisti, tive que colocar isso =^.^= ), que é nada mais nada menos que um Príncipe Indiano (suspiros já) que está preso a séculos na forma de um Tigre por intermédio de uma maldição.

A narrativa de Colleen entre Kells e Ren “Tigre” é fascinante e envolvente, a confiança que ela deposita nele para se abrir e relembrar o sentimento de perda e solidão que sente em relação à morte de seus pais toca o leitor de uma forma comovente, eu chorei um bocadinho. Vendo a vida do tigre estando preso em uma jaula, ela se identifica com esse sentimento de tristeza interior sem que ninguém de fora o perceba.

O tema central da historia se passa na Índia. A descrição de lugares, as comidas típicas (que dão água na boca), a tradição sobre vestuários e comportamentos, a cultura, as histórias e mitos hindus contadas pelo meu personagem preferido Sr. Kadam, que ao narra-las faz você se sentir sentado em frente a seu Avô ouvindo aquelas historias antigas que te levam a esse deslumbrante passado.

Porém nem tudo no livro são rosas, as partes onde a autora descreve o relacionamento de Kelsey com Ren “Humano” deixa um pouco a desejar, é uma narrativa muitas vezes meio infantilizada. Pensei várias e várias vezes: “Poxa, ela tem quase 18 anos, está ao lado desse cara super lindo, e faz essas coisas? O.M.G.!”. Espero que ao decorrer dos próximos livros a Kelsey se torne um pouco mais madura nessa parte.

Ren é aquele Príncipe Perfeito, desde o comportamento até o modo de falar com Kelsey, deixa você sem ar, de pernas bambas, e babando um pouco. O modo como ele descreve seus sentimentos para ela deixa qualquer uma de boca aberta. Um pedacinho para deixar vocês com o coração acelerado…

– Já passei por muitas situações difíceis em minha vida – disse ele baixinho. – Já estive em batalhas sangrentas. Vi amigos serem mortos ao meu lado. Testemunhei coisas terríveis sendo feitas com homem e com animais, mas nunca tive medo.

– Já me senti perturbado. E também inquieto e tenso. Já estive em perigo mortal, mas nunca experimentei esse medo que faz suar frio, o tipo que corroí um homem vivo, que o lança de joelhos e o faz implorar. Na verdade, sempre senti orgulho de estar acima disso. Pensava que tinha sofrido e visto tanto que nada mais poderia me assustar. Que nada poderia me fazer chegar a esse ponto.

-… Tive medo de perder você. Senti um pavor corrosivo, angustiante e infinito. Era insuportável. A parte mais torturante foi perceber que eu não queria mais viver se você se fosse e saber que não havia nada que eu pudesse fazer. Eu estaria preso para sempre nesta existência miserável sem você.

Meu Deus se alguém falasse isso pra mim, nem tava aqui mais =^.^=.

O misticismo que gira em torno dessa maldição é impressionante, a autora fez uma pesquisa excelente e conseguiu um ótimo material para o desenvolvimento da Saga. Buscar inspiração em um lugar tão longe e tão fascinante com mil e uma opções disponíveis ao seu redor somente esperando que alguém as use, foi uma boa aposta.

Estou simplesmente louca para ler o próximo volume “O Resgate do Tigre” e trazer sua resenha para vocês se deleitarem com essa fascinante historia.

Recomendo e muito lerem esse livro, o romance é lindo, as cenas de aventura são de tirar o fôlego, você se vê ofegando como se estivesse nos mesmos apuros com eles, uma simples frase para resumir o livro seria: aventura do começo ao fim, com toques de romance na medida certa que te deixam sem fôlego, fazem dele um ótimo livro de Ficção/Romance que vai te tirar do serio e te deixar ávida por mais.