Resenha: Paperboy – Pete Dexter

/Editora Novo Conceito/Resenhas/

paperboy-peter-dexter-estante-dos-sonhosEditora: Novo Conceito
Autor: Pete Dexter
ISBN: 9788581632186
Edição: 1
Número de páginas: 336
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  80 de 100 pontos
Compre: Amazon

Hillary Van Wetter foi preso pelo homicídio de um xerife sem escrúpulos e está, agora, aguardando no corredor da morte. Enquanto espera pela sentença final, Van Wetter recebe cartas da atraente Charlotte Bless, que está determinada a libertá-lo para que eles possam se casar.
Bless tentará provar a inocência de Wetter conquistando o apoio de dois repórteres investigativos de um jornal de Miami: o ambicioso Yardley Acheman e o ingênuo e obsessivo Ward James.
As provas contra Wetter são inconsistentes e os escritores estão confiantes de que, se conseguirem expor Wetter como vítima de uma justiça caipira e racista, sua história será aclamada no mundo jornalístico. No entanto, histórias mal contadas e fatos falsificados levarão Jack James, o irmão mais novo de Ward, a fazer uma investigação por conta própria. Uma investigação que dará conta de um mundo que se sustenta sobre mentiras e segredos torpes.
Paperboy é um romance gótico sobre a vida aparentemente sossegada das cidades do interior. Um thriller tenso até a última linha, que fala de corrupção e violência, mas que, ao mesmo tempo, promove uma lição de ética.

Minhas Impressões

Li esse livro já há algumas semanas, e vim pensando durante esse tempo o que achei do livro, pois bem, vamos a resenha.

Paperboy é um livro de suspense que trata do assassinato do sheriff de um cidadezinha por um homem de uma família indesejável pela maioria da cidade, os Van Wetter. As circunstâncias da prisão de Hillary são estranhas, mas pelo fato dele ser um Van Wetter ninguém se importa se ele é inocente ou não, mas existe uma pessoa que se importa. Charlotte Bless, uma estranha mulher que se comunica com homens presos e no corredor da morte, garante que Hillary é inocente. Depois de muita insistência ela consegue convencer dois repórteres do Miami Times a investigarem o caso.

Ward, filho mais velho do editor do jornal da cidade, que conseguiu sair do interior e se dar bem na “cidade grande”, é o responsável por conduzir essa investigação. Ward é conhecido por não desistir fácil de seus objetivos e cabe a ele garantir que os moradores da cidade cooperem com a investigação. O que complica a investigação é que o Sheriff que foi morto era tido como um herói da cidade, enquanto Hillary, um marginal.

Não sei se vocês já assistiram alguma vez aqueles programas no History Channel ou no National Geographic que mostra aquelas famílias que vivem em pântanos nos Estados Unidos. Se já assistiram vão entender o que vou falar. Os Van Wetter são desse tipo de família. Totalmente reclusos, caçam e vivem do pântano. Até mesmo casamento e relacionamentos ocorrem entre família. Hillary Van Wetter foi preso por supostamente vingar seu primo, morto pelo Sheriff.

Durante a investigação Ward percebe que tem muitos pontos faltando, como provas, que contestam a prisão de Hillary. O racismo contra essa família, pode ter sido o ingrediente principal para a prisão. A coisa complica, pois as pessoas envolvidas não querem revelar nada que possam tirar Hillary da cadeia.

Esse jogo de mentiras e descobertas que dão o suspense ao livro e prendem até o fim. A obsessão de Ward misturado com a inocência do irmão vão formando essa trama estranha que mostra que nenhum homem é incorruptível.

O livro é muito bom, porém é o tipo de livro para quem realmente gosta de ler. Parece idiota o que falei, mas é verdade. Paperboy não é do tipo de livro que tem um mocinho e um vilão que no fim é pego. Confesso que ao final do livro fiquei meio perdido, sem saber o que escrever sobre ele, mas compreendi que o intuito do autor era realmente levar a pensar no que ele escreveu. Sobre esse conceito de herói e vilão. Você começa a ler e já aponta do dedo para os Wetter julgando-os, enquanto o Sheriff mata diversos negros por puro preconceito. É aí que entram os fatos no livro, mostrando que os rótulos que colocamos, podem não ser o certo.

Enfim, o livro é muito bom. Recomendo a leitura desse belo suspense pra quem realmente não gosta de largar o livro pela metade. Vale a pena no final. Até a próxima e deixem os comentários sobre o que acharam do livro.

Ia esquecendo de comentar. Esse livro tem um filme, logo mais coloco minhas impressões sobre o filme também.

Resenha: A Aprendiz – Trudi Canavan

/Editora Novo Conceito/Resenhas/

A Aprendiz.inddEditora: Novo Conceito
Autor: Trudi Canavan
ISBN: 9788581630250
Edição: 1
Número de páginas: 544
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos
Compre: Amazon

Sozinha entre todos os aprendizes do Clã dos Magos, somente Sonea vem de uma classe menos privilegiada. No entanto, ela ganhou aliados poderosos, como Lorde Dannyl, recentemente promovido a Embaixador. Ele terá, agora, de partir para a corte de Elyne, deixando Sonea à mercê dos boatos maliciosos e mentirosos que seus inimigos continuam espalhando… até o Lorde Supremo entrar em cena. Entretanto, o preço do apoio de Akkarin é alto porque, em troca, Sonea deve proteger seus mistérios mais sombrios.
Enquanto isso, a ordem que Dannyl está obedecendo, de buscar fatos sobre a longa pesquisa abandonada de Akkarin sobre o conhecimento mágico antigo, o está levando a uma extraordinária jornada, chegando cada vez mais perto de um futuro surpreendente e perigoso.

Minhas Impressões

Continuando a saga iniciada no Clã dos Magos, A Aprendiz se aprofunda agora no aprendizado de Sonea e no dia a dia dela na universidade. Já não basta o fato de que um local cheio de adolescentes ser hostil, Sonea ainda tinha o problema de sua origem humilde. Por ter vindo da favela ela começa a ser perseguida pelos outros aprendizes que tentam “provar” que ela não pertence ao clã.

Me lembrando muito do Malfoy (cuspo no chão ao falar o nome dele rs), Sonea é atormentada por Regin, um estupidozinho que acha Sonea indigna de estar perto dos filhos das Casas. Por mais que o tutor de Sonea tente evitar isso conversando com o tutor de Regin, as provocações não param. É em uma dessas perseguições que Sonea percebe que é extremamente mais forte que os outros aprendizes.
Se esgueirando pelos túneis da universidade, Sonea é emboscada por vários dos amigos de Regin e ele, claro. Mesmo todos eles emprestando força a Regin, ele não consegue superar a força de Sonea.

Depois de muita perseguição, Dorrien, um “affair” de Sonea, dá a sugestão que ela desafie Regin para uma luta pública. Vou deixar o comentário abaixo oculto, pois tem spoiler, caso queira realmente saber clique em mostrar, senão pode continuar lendo a resenha.
[spoiler]O Desafio Público era comum no antigo clã para resolver os desentendimentos entre os magos. Ficava subentendido que quem ganhasse devia se submeter ao outro, ou seja, se Sonea ganhasse, Regin teria de parar de atormenta-la. Como o tutor de Regin era um Guerreiro, Sonea estava em desvantagem, pois ela não gostava dessa matéria, mas sabiamente escolheram Lorde Yikmo, um Guerreiro não tão forte, mas habilidoso, para ensina-la as técnicas afim de ganhar a luta.
A luta é definida por turnos. Os tutores de cada aprendiz deve formar uma barreira por baixo da barreira de cada aprendiz, evitando que um dos dois exagere na dose. O primeiro aprendiz que encostar na barreira interna vence o turno. Por mais que Regin não seja tão forte como Sonea ele ganha dois turnos, empatando com Sonea. O último turno é bem disputado, ambos estão cansados, mas Sonea ainda tem muita reserva de magia e investe com tudo contra Regin, derrubando a barreira dele e a de seu tutor, mostrando quão forte ela é[/spoiler].

Dividida, Sonea tenta escapar de todas as obrigações que ela não pediu, que estão nos ombros dela e de alguma forma conseguir derrotar um mago poderoso que ameça todo o clã. Se vocês perceberam, não citei em momento nenhum quem era o tutor dela para não estragar o livro. Garanto a surpresa!

Enfim, o livro é excelente. Confirma a qualidade de escrita da autora, que no segundo livro, conseguiu manter o mesmo ritmo do primeiro e prender a atenção do leitor. O suspense pra saber a verdade por trás de todo o mistério da o “tempero” da trama e você vai se surpreendendo conforme vai lendo. Recomendo muito o livro e que venha o terceiro.

Até a próxima!

Resenha: O Céu Está Em Todo Lugar – Jandy Nelson

/Editora Novo Conceito/Resenhas/

O-Céu-Está-Em-Todo-Lugar-estante-dos-sonhosEditora: Novo Conceito
Autor: Jandy Nelson
ISBN: 9788563219374
Edição: 1
Número de páginas: 424
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos
Compre: Amazon

“Às vezes é preciso perder tudo, para encontrar a si mesmo…
Às 16h48 de uma sexta-feira de abril, minha irmã estava ensaiando para o papel de Julieta e, menos de um minuto depois, estava morta. Para minha surpresa, o tempo não parou com o coração dela. As pessoas continuaram indo à escola, ao trabalho, a restaurantes; continuaram quebrando bolachas salgadas em suas sopas, preocupando-se com as provas, cantando nos carros com as janelas abertas. Por vários dias, a chuva martelou o telhado da nossa casa – uma prova do terrível erro cometido por Deus. Toda as manhãs, quando me levantava, ouvia as incessantes batidas, olhava pela janela para a tristeza lá fora e me sentia aliviada, pois pelo menos o sol tivera a decência de ficar bem longe de nós.”

Minhas impressões

Desde a primeira vez que ouvir falar de O Céu Está Em Todo Lugar, senti uma vontade enorme de lê-lo, agora que finalmente realizei meu desejo pessoal, espero que vocês gostem do meu ponto de vista sobre ele… Aproveitem!

O tema abordado é o luto e sua superação. Mas antes que vocês pensem que será algo chato e monótono, posso lhes assegurar que não é assim, Jandy aborda as várias fases do luto, desde a negação à aceitação, como também a forma que afeta toda a rotina e convivência dos membros de uma família. É um livro bem maduro pela classificação juvenil, porém não deixa de ter aspectos juvenis.

A forma como Lennie tenta seguir e não seguir em frente sem deixa que as memórias de sua irmã (Bailey) fiquem para trás muitas vezes são triste e parte o coração, a saudade, a forma como ela muitas vezes pensa que poderia ter sido ela ao invés da irmã é de tocar profundamente o coração.

Quando Lennie começa a dar uns beijinhos no namorado da irmã, eu fiquei meia (WTF?), mas quando ela reflete e se justifica você entende perfeitamente o conflito interior que ela está passando, ser a irmã caçula, se espelhar em Bailey, e não saber mais o que fazer ou como seguir sem ela, assim Lennie vê em Toby toda sua angustia, medo, saudade, conseguindo se apoiar e ter alguém que a escute e principalmente entenda a falta que sente da irmã. Ter sido abandonada pela mãe, sendo criada pela avó e tio juntamente com a irmã, já deixou algumas cicatrizes que não saem e perguntas e memórias difíceis de esquecer. Após isso perder a irmã, a deixa profundamente triste, e desolada.

Mas em meio a todo esse turbilhão de sentimentos eis que surge um lindo Joe, que literalmente tira Lennie desse poço de escuridão em que ela se encontra. Ele é literalmente de tirar o fôlego, principalmente quando fala em francês (ulala), romântico, dedicado, companheiro e ainda faz musicas pra ela, tudo de bom.

Porém acho o principal problema da protagonista em não se deixar superar a perda da irmã, em querer se apegar a tudo, desde pertences a memórias e achar que estará desistindo dela de alguma forma se a esquecer. Essa parte do amadurecimento própria para a superação é doloroso de se ler, chorei varias vezes, você se sente como a Lennie, sentada na cama, olhando a cama ao lado, usando as roupas da irmã para tê-la mais perto e desabando repetidamente todas as noites.

A autora fez um trabalho excepcional com esse livro, uma personagem cativante, inteligente, multitalentosa é poetisa e musicista, meiga, bondosa. E a forma como é retratado o comportamento adolescente de Lennie e Bailey uma como a outra, o apoio mutuo e a superação pelo abandono da mãe, é reconfortante e lindo de ser ler, pelas memórias de Len. Como todas as irmãs têm suas brigas, mas nunca deixa de amparar uma à outra.

É um ótimo livro, emocionante e vai te fazer chorar e rir muito também. E pensar na forma de encarar algumas tragédias que infelizmente vamos passar na vida. Recomendo que vocês leiam esse livro, comprei empolgada apenas com a capa e a sinopse e não me decepcionei em nada. As partes em destaque no decorrer do livro que trazem os pequenos poemas e versos que Lennie simplesmente escreve e joga ao vento são lindos. É um livro lindo de se ver em si, simplesmente adorei.

Até a próxima pessoal =^.^=

Resenha: A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra – Robin Sloan

/Editora Novo Conceito/Resenhas/

livraria-24-horas-mr-penumbra-estante-dos-sonhosEditora: Novo Conceito
Autor: Robin Sloan
ISBN: 9788581630236
Edição: 1
Número de páginas: 288
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

A recessão econômica obriga Clay Jannon, um web-designer desempregado, a aceitar trabalho em uma livraria 24 horas. A livraria do Mr. Penumbra — um homenzinho estranho com cara de gnomo.
Tão singular quanto seu proprietário é a livraria onde só um pequeno grupo de clientes aparece. E sempre que aparece é para se enfurnar, junto do proprietário, nos cantos mais obscuros da loja, e apreciar um misterioso conjunto de livros a que Clay Jannon foi proibido de ler. Mas Jannon é curioso…

Minhas impressões

Confesso que pelo título (A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra) não fiquei curioso com o livro, a capa era linda, mas seguindo o velho ditado de não julgar pela capa deixei passar a pré-venda. Depois de uma semana ainda em pré-venda li o primeiro capítulo. Aí tudo mudou! Aproveitei que tinha acabado de comprar o e-Reader Kobo (que por sinal é ótimo) e comprei o ebook. Li em dois dias!

O livro começa tímido, contando a história de Clay e a depressão financeira que se abateu no mundo. Desempregado ele passa a procurar emprego em qualquer lugar. Em uma de suas andanças acaba encontrando um anúncio de emprego para balconista em uma pequena livraria. Como não era necessário experiência ele resolveu arriscar.

Uma vez contratado ele passa a trabalhar no turno da noite e percebe que aquela não é uma livraria comum. Não tem livros da moda e outro detalhe, os clientes também não são nada comuns. Curioso Clay começa a tentar entender o que esta acontecendo ali. E como diz o dita: quem procura acha! Começa então uma trama cheia de suspense, tecnologia e outras coisas que deixam os nerds loucos para ler este livro =)

O livro é incrível, tem pontos de vários universo que nos unem. Livros, tecnologia, ebooks, mistérios, história do design, entre outros. É interessante ver tudo isso junto harmonicamente. O texto é tão fluído que você não percebe que chegou ao fim do livro e fica ansiando por mais. É levantado uma leve discussão sobre os livros impressos, versus ebooks. Alguns personagens são contra o uso de ebooks, enquanto o personagem principal, defende o uso de ambos.

Enfim, recomendo a leitura, é muito interessante ver os mundo que citei acima interagindo entre si, além de ter aquele suspense que você passa o livro inteiro tentando descobrir antes do protagonista. Se você tiver aquele conhecido que não curte ler, recomende este, ele vai se interessar e acabar lendo rapidamente =]

Pra quem quiser descobrir mais sobre o livro, assista o Hangout com o autor:

Resenha: O Clã dos Magos – Trudi Canavan

/Editora Novo Conceito/Resenhas/

clã-dos-magos-trudy-canavan-estante-dos-sonhosEditora: Novo Conceito
Autor: Trudi Canavan
ISBN: 9788581630007
Edição: 1
Número de páginas: 448
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Todos os anos, os magos de Imardin reúnem-se para purificar as ruas da cidade dos pedintes, criminosos e vagabundos. Mestres das disciplinas de magia, sabem que ninguém pode opor-se a eles. No entanto, seu escudo protetor não é tão impenetrável quanto acreditam. Enquanto a multidão é expurgada da cidade, uma jovem garota de rua, furiosa com o tratamento dispensado pelas autoridades a sua família e amigos, atira uma pedra ao escudo protetor, colocando nisso toda a raiva que sente. Para o espanto de todos que testemunham a ação, a pedra atravessa sem dificuldades a barreira e deixa um dos mágicos inconsciente. Trata-se de um ato inconcebível, e o maior medo da Clã de repente se concretiza: uma maga não treinada está à solta pelas ruas. Ela deve ser encontrada, e rápido, antes que seus poderes fiquem fora de controle e destruam a todos.

Minhas Impressões

Depois que você lê Harry Potter quando vê um livro de magia já imagina os feitiços, varinhas mágicas e por aí vai. O Clã dos Magos é bem diferente, e é muito bom!

Imaginem o seguinte cenário. Um país controlado por um rei e diversas casas, que hoje em dia seria considerada a classe A, os ricos. Só quem tinha permissão para entrar no Clã, e praticar magia, eram os filhos das Casas. Todo ano o Clã era incumbido de limpar as ruas de Imardin, a chamada Purificação. A Purificação obrigavam todos os pobres e mendigos a voltarem para a favela, “deixando as ruas mais seguras”.

Numa dessas purificações acontece algo inesperado. Uma pedra é atirada contra os Magos e ultrapassa a barreira mágica. Só magia pode ultrapassar a barreira! Começa então uma caçada pra descobrir qual “favelado” fez magia.

Por outro lado sem saber o que fez, ou como fez, Sonea precisa se esconder dos Magos. Eles definitivamente não queriam uma favelada praticando magia e pra se esconder ela vai ter que apelar por ajuda dos Ladrões!

Enfim, é em meio a essa caçada que o leitor nem percebe as páginas passando. A autora cria um universo mágico, como eu disse anteriormente, diferente do que já conhecemos. Ela criou algumas palavras próprias e uma história pra esse universo que torna tudo mais interessante. O livro mistura basicamente o que eu gosto; ação, fantasia e um toque de suspense. Recomendo o livro e a sequência que logo, logo, faço a resenha =)

Resenha: A Caçada – Clive Cussler

/Editora Novo Conceito/Resenhas/

a-caçada-clive-cussler-estante-dos-sonhosEditora: Novo Conceito
Autor: Clive Cussler
ISBN: 9788581632193
Edição: 1
Número de páginas: 384
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Por décadas, Clive Cussler vem deleitando leitores com romances repletos de suspense, ação e pura audácia. Agora, ele faz isso novamente, em um dos mais loucos e estimulantes thrillers de época dos últimos anos.
O governo norte-americano contrata a renomada Agência de Detetives Van Dorn e seu agente igualmente renomado, Isaac Bell, para capturar um lendário ladrão de bancos conhecido como Assaltante Açougueiro. Este assassinara homens, mulheres e crianças, sem deixar nenhuma pista nem testemunhas. O detetive Bell lidera a busca e finalmente descobre a verdadeira identidade do Assaltante Açougueiro. E nesse momento inicia-se a verdadeira caçada.
Com um enredo intrincado, dois vilões extraordinários e a assinatura de Cussler em reviravoltas surpreendentes, A Caçada é o trabalho de um mestre no auge de seu talento.

Book Trailer

Minhas Impressões

Confesso que não conhecia Clive Cussler antes de ler este livro, mas algo que posso falar desde já é que ele entrou no meu “Hall da fama” dos autores. O livro A Caçada traz uma aventura intrigante e é daquele tipo de livro que você nem percebe que já leu metade do livro em algumas horas.

A mistura entre fatos históricos, como os detalhes da cidade de São Francisco, misturados com ficção e os enigmas, geram um enredo maravilhoso. Você se pega tentando adivinhar qual será o próximo passo do bandido, ou como o mocinho (Isaac Beel) fará para pegar o Assaltante Açougueiro.

Eu particularmente adoro livros que me instiguem a descobrir o que virá mais pra frente. A vibrar quando o mocinho chega mais perto de finalizar o caso, ou esbravejar quando o bandido se safa.

Enfim. Recomendo muito o livro A Caçada, geralmente cito nas minhas resenhas que um livro ou outro é excelente pra quem está começando a ler, A Caçada é um deles. Com um enredo leve e intrigante, quem não tem costume a ler, nem vai perceber que terminou o livro.

Obrigado Novo Conceito pela cortesia.

Pessoal até a próxima =)