Resenha: Serial Killers – Anatomia do Mal – Harold Schechter

/Editora DarkSide Books/Resenhas/

Editora: Darkside Books
Autor: Harold Schechter
ISBN: 9788566636123
Edição: 1
Número de páginas: 448
Acabamento: Capa Dura
Compre: Amazon
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

O que faz gente aparentemente normal começar a matar e não parar mais? O que move – e o que pode deter – assassinos em série como Ed Gein, o psicopata americano que inspirou os mais célebres maníacos do cinema, como Norman Bates (Psicose), Leatherface (O Massacre da Serra Elétrica) e Hannibal Lecter (O Silêncio dos Inocentes). Como explicar a compulsão por matar e o prazer de causar dor, sem qualquer arrependimento? De onde vem tanta fúria?
As respostas estão no novo lançamento da editora DarkSide Books: ‘Serial Killers – Anatomia do Mal’, dossiê definitivo sobre o universo sombrio dos psicopatas mais perversos da história. Escrito por Harold Schechter – que pesquisa o tema há mais de três décadas, o livro é referência fundamental a todos os que se interessam pelo universo da investigação e da criminologia.

Minhas impressões

Todo livro que eu leio da DarkSide Books eu saliento a qualidade do trabalho de edição, capa, gramatura das folhas, etc. Esse livro não é diferente. A qualidade dessa editora já virou referência e eu sei que qualquer um que eu comprar deles vai ser assim.

Esse livro era basicamente o “elo de ligação”(calma é brincadeira rs), é basicamente o elo que faltava pra tantas outras obras sobre serial killers no mercado. Digo isso, pois o autor conseguiu trazer de forma didática eu diria, um relato sobre as atrocidades de diversos serial killers, considerados os piores de sua época.

O autor tomou o devido cuidado de explicar as diferenças entre os tipos de serial killers e as doenças que os mesmos sofriam. Ele aborda imparcialmente os casos de estudo que traz, mostrando a visão psicológica do caso, sem todo o brilho que as mídias impõem pra esse tipo de notícia.

Você pode até achar um pouco repetitivo enquanto ele explica as psicopatias no livro, usando por várias vezes o mesmo assassino pra exemplificar o caso. Avaliando isso depois de ler o livro, vi que isso ajudou bastante na hora de memorizar os casos.

Dois dos piores, que eu achei pelo menos foi o Ed Gein, não pela quantidade de mortes, que foi baixa, mas, mais pela doença dele, a incapacidade pura e simples de não sentir. Uma deturpação tão grande no senso do que é bom ou mau que simplesmente ele não sentia que o que fazia era errado. Outro pior dentre eles (se é que dá pra classificar assim) foi o Gacy.

Outro fato interessante é que esse livro me tirou uma dúvida que sempre tive. Se mulheres também eram consideradas serial killers e sim, são. E olha que tem alguns exemplos nos livros que deixariam Mason de cabelo em pé (ou orgulhoso). Ainda nos fatos interessantes, o autor traz exemplos de serial killers em outros países também. Muitos acham que “serial killer” é algo exclusivo de alguns países, mas não, não é.

Enfim, pra quem curte esse tema e tem o estômago um pouco forte (pois quando lemos, acabamos imaginando a cena, certo?), recomendo este livro. É aquele tipo de livro que dá sentido a todos os outros que você leu sobre o assunto. Deixando bem claro de uma vez por todas o que é um serial killer. Como falei, de forma simples e didática.

Até a próxima =]

Compartilhe este link para ganhar pontos