Resenha: Lorde Supremo – Trudi Canavan

/Editora Novo Conceito/Resenhas/

O-lorde-supremo-Trudi-Canavan-estante-dos-sonhosEditora: Novo Conceito
Autor: Trudi Canavan
ISBN: 9788576861805
Edição: 1
Número de páginas: 624
Acabamento: Brochura
Compre: Amazon
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Na cidade de Imardin, onde aqueles que têm magia têm poder, uma jovem garota de rua, adotada pelo Clã dos Magos, se encontra no centro de uma terrível trama que pode destruir o mundo todo. Sonea aprendeu muito no Clã, e os outros aprendizes agora a tratam com um respeito relutante. No entanto, ela não pode esquecer o que viu na sala subterrânea do Lorde Supremo — ou seu aviso de que o antigo inimigo do reino está crescendo em poder novamente. Conforme Sonea evolui no aprendizado, começa a duvidar da palavra do mestre de seu clã. Poderia a verdade ser tão aterrorizante quanto Akkarin afirma? Ou ele está tentando enganá-la para que Sonea o ajude em algum terrível esquema sombrio?

Minhas impressões

Uma história que parecia tímida logo no início se tornou algo tão épico e bem escrito.

Num mundo pós Harry Potter, é difícil para um autor escrever sobre magia, pelo menos eu ficaria com medo de repetir algo. Porém é algo tão natural nessa saga que você não faz associação nenhuma à outra história. Vou tentar ao máximo não dar spoiler pra quem não leu o segundo livro, mas não posso prometer nada =).

Depois de Sonea descobrir o que o Lorde Supremo estava fazendo e porque a mantinha sob extrema vigilância, ela decide que deve seguir o mesmo caminho que ele, afinal Imardin estava em perigo e com ela, a favela onde moravam seus tios. Engolindo seu medo ela deixa claro para o Lorde Supremo o que ela quer. Por mais estranho que pareça o Lorde Supremo se mostra relutante a ensina-la, o que é um baque para Sonea já que ela achava justamente o contrário, que ele queria que ela aprendesse. Depois de muita insistência de Sonea e do servo do Lorde Supremo, Akkarin resolve ensina-la “magia negra” (desculpe, mas não tinha como prosseguir a resenha sem falar isso rs).

Quando os inimigos percebem que Akkarin enfraqueceu em sua última batalha, eles começam a enviar cada vez mais soldados para descobrir como finalmente invadir a cidade. Após essa batalha, Sonea exige ser levada junto, pois Akkarin não conseguiria resolver tudo sozinho. Contra vontade Sonea se vê encurralada e precisa usar a “magia negra” para salvar Akkarin e ela mesma.

Pulando um pouco a história e os motivos, Sonea e Akkarin são obrigados a irem para Sachaka e lá Sonea começa a entender todo o peso que Akkarin carrega nas costas. Lá ela descobre que a “magia negra” que a academia tanto teme é chamada de Magia Superior e que seus antepassados usavam-a constantemente. Somente após um grave incidente é que ela é proibida.

Em Sachaka ela percebe quão fracos são os magos de Imardin e que somente com a Magia Superior é que eles poderão ter uma chance contra os Ichanis.

Bom, já deu pra ver que a coisa fica frenética no ultimo livro. Como falei no início, o primeiro livro veio com uma história interessante e despretensiosa que acabou se tornando uma ótima trilogia. O andamento dos acontecimentos entre os livros foi muito bem divido. Tem algumas trilogias por aí onde o autor segura tudo para o último livro e acaba estragando a trilogia pelo fato do terceiro livro ser rápido demais. Não o caso da Trudi Canavan.

A trilogia do Mago Negro é mais um que você tem que ter guardado na sua estante, pois te prende do primeiro ao último livro e deixa aquele desejo de mais. É mais um livro original que fala de magia e aventuras que eu recomendo muito pra quem não tem o costume de ler.

Enfim, recomendo muito o livro e espero que vocês leiam =)

Compartilhe este link para ganhar pontos

Resenha: O chamado do anjo – Guillaume Musso

/Editora Verus/Resenhas/

O-chamado-do-anjo-estante-dos-sonhosEditora: Verus
Autor: Guillaume Musso
ISBN: 9788576861805
Edição: 1
Número de páginas: 336
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Nova York, Aeroporto JFK. Na sala de embarque lotada, um homem e uma mulher se esbarram, espalhando suas coisas pelo chão. Após uma discussão banal, cada um segue seu caminho. Madeline e Jonathan nunca haviam se visto e jamais deveriam voltar a se encontrar. Porém, ao recolher seus pertences, trocaram por descuido os celulares. Quando percebem o engano, já estão a dez mil quilômetros um do outro — ela é florista em Paris, ele tem um restaurante em San Francisco. Não demora muito para ambos cederem à curiosidade, explorando o conteúdo dos respectivos aparelhos. Uma dupla indiscrição, que leva a uma revelação inesperada: suas vidas estão ligadas por um segredo que eles julgavam enterrado para sempre… O chamado do anjo é uma trama magistralmente construída, que passeia entre o romance e o suspense, com um final de tirar o fôlego.

Minhas impressões

Jonathan e Madeleine. Aparentemente opostos. Ela uma florista Parisiense. Ele um ex-cozinheiro de prestigio. O que eles têm em comum? O mesmo modelo de celular e alguns segredos ocultos.

Tudo começa no aeroporto JFK, em uma sala de embarque, onde duas pessoas totalmente desconhecidas se esbarram e acabam trocando os celulares e quando percebem o erro cometido já é tarde demais: ele está em São Francisco, e ela na França. Ambos procuram uma maneira de desfazer a troca, porém movidos pela curiosidade, eles decidem vasculhar o aparelho um do outro e descobrir um pouco mais sobre a vida de cada um.

O livro foi uma grande surpresa. Estava esperando algo totalmente clichê, um romance como qualquer outro já lido, porém me enganei totalmente. Primeiro de tudo é que nem sei que classificação de gênero dar para este livro. Ele é tão completo que não sei onde encaixá-lo.

Musso conseguiu fazer um livro para ninguém botar defeito. Ele acertou no enredo, nas tramas paralelas, nos personagens secundários e principalmente nos personagens principais. Jonathan e Madeleine são completamente cativantes. Madeleine não é uma mocinha qualquer, não é aquele tipo de mocinha chata como a Bella, de Crepúsculo. Ela é aquele tipo de mocinha eletrizante, com um ar de heroína que sabe o que faz e onde pisa. Já Jonathan é gente como a gente, bom moço, porém com grandes segredos por trás dessa bondade toda.

É difícil falar sobre este livro porque é tanta coisa que você vai descobrindo a cada pagina lida que eu fico até com medo de revelar algo que não devo.

O passado move todo o enredo e com o andar da carruagem podemos perceber que Jonathan e Madeleine estão mais ligados do que apenas por uma troca de celular.

O que me resta a dizer é que Guillaume Musso é um gênio em criar enigmas e situações eletrizantes. Ele sabe onde e quando encaixar uma cena ou uma ação de algum personagem.

Se você procura por um romance bobo sugiro que não leia este livro. Agora se você quer algo totalmente eletrizante e que deixe qualquer fã de Harlan Coben animado, não pense duas vezes para começar a ler esta magnífica obra.