Resenha: Os Julgamentos de Nuremberg – Paul Roland

/Editora M Books/Resenhas/

Editora: M Books
Autor: Paul Roland
ISBN: 9788576802228
Número de páginas: 208
Acabamento: Brochura
Classificação EDS: 100 de 100
Compre: Amazon

Essa é a história dos julgamentos de Nuremberg o mais importante processo criminal já realizado, que criou o princípio da responsabilidade individual de acordo com as normas do direito internacional e que encerrou a Segunda Guerra Mundial, dando início à reconstrução da Europa. Os nazistas eram um grupo de criminosos, assassinos, desequilibrados, sádicos e burocratas medíocres unidos apenas por sua filosofia de ódio e pelo amor à espoliação de bens alheios. À medida que fortaleciam seu poder, ma is monstruosos eram seus crimes.

Minhas impressões

Há anos que Os Julgamentos de Nuremberg estava na minha lista, mas pelo valor e outros que estavam na frente, demorei a ler. Demorei também a terminar de ler, mais ou menos seis meses. É um assunto super pesado e o livro retrata um julgamento de mais de dez meses.

A omissão da culpa desses homens significaria o mesmo de dizer que não houve guerra, nem assassinatos ou crimes.

Resenha: Holocausto Brasileiro – Daniela Arbex

/Editora Geração/Resenhas/

Editora: Geração
Autor: Daniela Arbex
ISBN: 9788581301570
Edição: 1
Número de páginas: 256
Acabamento: Brochura
Classificação EDS: 100 de 100 pontos
Compre: Amazon

Durante décadas, milhares de pacientes foram internados à força, sem diagnóstico de doença mental, num enorme hospício na cidade de Barbacena, em Minas Gerais. Ali foram torturados, violentados e mortos sem que ninguém se importasse com seu destino. Eram apenas epilépticos, alcoólatras, homossexuais, prostitutas, meninas grávidas pelos patrões, mulheres confinadas pelos maridos, moças que haviam perdido a virgindade antes do casamento.
Ninguém ouvia seus gritos. Jornalistas famosos, nos anos 60 e 70, fizeram reportagens denunciando os maus tratos. Nenhum deles – como faz agora Daniela Arbex – conseguiu contar a história completa. O que se praticou no Hospício de Barbacena foi um genocídio, com 60 mil mortes.
Um holocausto praticado pelo Estado, com a conivência de médicos, funcionários e da população.

Minhas impressões

Eu leio bastante livros históricos. Muitos eu nem escrevo resenhas aqui, pois são assuntos muito similares, além que demoro séculos para terminar.