Resenha: As vantagens de ser invisível – Stephen Chbosky

/Editora Rocco/Resenhas/

as-vantagens-de-ser-invisível-estante-dos-sonhosEditora: Rocco Jovens Leitores
Autor: Stephen Chbosky
ISBN: 9788532522337
Edição: 1
Número de páginas: 223
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras – são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça. Uma leitura que deixa visível os problemas e crises próprios da juventude.

Minhas impressões

Charlie é um garoto peculiar, muito retraído e observador e isso faz com que ele seja um daqueles garotos isolados que não conversam com ninguém. Após passar por uma tragédia, ele se vê sozinho no colegial, o equivalente ao ensino médio para nós.
Lembrem-se quando vocês foram cursar o primeiro dia do ensino médio. Aquele medo de não fazer parte de algum grupo, de parecer criança demais, afinal, era o ensino médio. Assim também foi com Charlie.

Tentando “participar”, Charlie acaba conhecendo Patrick e Sam, dois veteranos em seu último ano na escola. Sam e Patrick eram, como eu poderia descrever? Eles eram os “estranhos” do colegio. Sabem aqueles alunos que nem são esportistas, nem nerds? São alternativos. (Espero ter conseguido descrever) Enfim, os dois não se importam com o fato de Charlie ser um novato e logo o inclui no grupo. Algo que Charlie nunca fez na vida.

Pelo livro ser narrado em primeira pessoa, você se sente extremamente ligado ao personagem principal, e “sente” todos os detalhes que ele descreve.

É como se ele tirasse uma foto da Sam e a foto saísse linda. E ele pensasse que o motivo para a foto sair bonita fosse ele fotografar bem. Se eu fizesse a foto, saberia que o único motivo da beleza é a própria Sam

Se você ouvir a canção “Asleep” e pensar naqueles lindos dias de chuva que fazem você se lembrar das coisas, e você pensar nos mais belos olhos que já viu, e você chorar, e a pessoa abraçar você, então eu acho que você vai ver a fotografia.

Fiquei curioso pra ler o livro após assistir o filme. O filme em si é espetacular, contando com atores como Ezra Miller e Emma Watson, e como os livros são sempre melhores que os filmes resolvi ler e conhecer mais da história de Charlie.

A família de Charlie é uma típica família americana com três filhos. O mais velho na faculdade, a irmã do meio com as implicâncias de irmão do meio e Charlie o caçula, mais isolado.

Eu só queria saber o que comprar para meu pai porque eu o amo. E eu não conheço ele. E ele não gosta de falar de coisas como essas.

Citei acima que Charlie era extremamente observador e isso fazia com que ele pensasse em coisas que não lhe cabiam, não era de sua responsabilidade. Empatia seria a palavra certa.

Não sei porquê, mas eu entendo por que meu pai teve de sair desta casa. Quando ele soube que minha avó nunca encontraria outro home porque não tinha mais confiança e nunca mais olharia para nenhum outro porque não sabia como. E quando ele viu que a irmã começou a trazer versões mais novas dos padrastros para casa para namorar. Ele não podia ficar.

É engraçado ver Charlie passando por momentos tão marcantes da adolescência, como o primeiro beijo, o início e fim de um namoro, com toda a inocência que ele tem.

E ela me beijou. Foi um tipo de beijo que eu nunca poderia contar a meus amigos como foi veemente. Foi tipo de beijo que me fez saber que eu nunca seria tão feliz em toda a minha vida.

‘Beije na boca da garota mais bonita da sala.’ Foi quando eu escolhi ser sincero. Pensando nisso agora, eu provavelmente não podia ter escolhido um momento pior.

Eu me identifiquei bastante com esse livro. Essa solidão tão arraigada na pessoa, tão sólida que poderia ser apalpada. E uma frase em particular que ele fala é a realidade de muita gente.

Não sei por quanto tempo eu posso continuar sem um amigo. Eu costumava ser capaz de fazer isso com muita facilidade, mas foi antes de eu saber como era ter um amigo.

Você pode pensar que era somente um problema de Charlie, pois ele tinha a família dele como companhia, mas quem é solitário, sabe como é diferente um amigo de um irmão. Por ser muito empático, ele nunca colocava as necessidades próprias na frente da necessidade dos outros.

Pra falar a verdade, eu sabia que ela queria ficar sozinha com Erik, mas eu queria muito ter companhia. Mas eu sabia que não era justo estragar o tempo dela só porque eu sentia falta de todo mundo, então apenas disse boa noite e saí.

“Eu morreria por você. Mas não viveria por você.” Algo assim. Acho que a ideia é que cada pessoa tem de viver a própria vida e depois escolher compartilhá-la com outra pessoa. Talvez seja isso que faça com que as pessoas “participem.”

Depois de um tempo e com ajuda dos amigos, Charlie consegue descobrir alguns segredos que ele mesmo ocultou de si. Isso acaba ajudando na recuperação dele.

Já aconteceu com você? Já se sentiu muito mal, depois tudo passar e você não saber por quê? Eu tento me lembrar, quando me sinto ótimo como agora, que haverá outra semana terrível algum dia, então procuro guardar o maior número de detalhes que posso, e assim na próxima semana terrível, vou poder lembrar esses detalhes e acreditar que vou me sentir bem novamente. Não funciona muito, mas acho importante tentar.

Então, se esta for a minha última carta, por favor, acredite que está tudo bem comigo, e mesmo quando não estiver, ficará bem logo depois.

Enfim. O livro é excelente. O diferencial nele é a narrativa em primeira pessoa que sempre leva o leitor a “sentir” mais o livro. Em alguns momentos tem que segurar o choro pra não chorar junto com o personagem. Você se alegra, tem vergonha, raiva, e todos os sentimentos que Charlie passa. Nunca me identifiquei tanto com um personagem.

Recomendo muito o livro e o filme. Pra dar mais vontade ainda de ler o livro, abaixo estão as músicas que Charlie gravou pra Sam.

Até a próxima!

As vantagens de ser invisível by André Gomes on Grooveshark

Como não achei uma das músicas. Segue o link do youtube: http://www.youtube.com/watch?v=2mBfg60P6Io