Resenha: Crônicas dos Senhores de Castelo – Renúncia Livro 4 – G. Norris & G. Brasman

/Editora Verus/Resenhas/

Editora: Verus Editora
Autor: G. Brasman & G. Norris
ISBN: 9788576867517
Número de páginas: 252
Acabamento: Brochura
Classificação EDS: 100 de 100
Compre: Amazon

A jornada de muitas e muitas eras chega ao fim. No quarto e último volume desta saga épica, o futuro de toda a existência está em jogo. Após vencer a guerra em Kynnis, Volgo finalmente põe em prática séculos de planejamento e será capaz de cometer as piores barbáries para conquistar seu objetivo. Com o caos se espalhando pelos quatro quadrantes do Multiverso, os membros da Ordem dos Senhores de Castelo são convocados para enfrentar uma guerra de proporções nunca imaginadas.

Mais que uma resenha, isto é uma homenagem, um tributo.

Como é possível ver nas resenhas dos outros volumes com os links aqui, aqui. conheci por acaso a saga Senhores de Castelo. Por uma excelente estratégia do Gustavo Girardi e do Gustavo Tezeli, ambos assumiram nomes fictícios, respectivamente G. Brasman e G. Norris para burlar um preconceito muito comum no Brasil: de que aqui não existem autores de literatura fantástica de verdade.

, aqui. conheci por acaso a saga Senhores de Castelo. Por uma excelente estratégia do Gustavo Girardi e do Gustavo Tezeli, ambos assumiram nomes fictícios, respectivamente G. Brasman e G. Norris para burlar um preconceito muito comum no Brasil: de que aqui não existem autores de literatura fantástica de verdade.

Eu era um desses, confesso. Dificilmente escolhia títulos brasileiros desse gênero. Graças a Deus amadureci nesse meio tempo e encontrei autores estupendos como os deste livro e o Eric Novello que sempre falo.

Tive o prazer de ser leitor beta do terceiro livro. Somente quem é louco por leitura sabe o privilégio que é isso, ainda mais de autores que você admira. Preferi não fazer a resenha do terceiro livro, pois fiz somente leitura técnica e isso dificulta uma boa resenha, mas lerei novamente, pois merece.

Uma mulher exuberante gritava comandos enquanto avançava e atirava com duas pistolas de energia escura. Os cabelos, curtos, eram uma mescla de negro e dourado e combinavam com uma elegante e pequenina tiara que repousava em sua cabeça. O braço esquerdo, do ombro até o pulso e avançando por três dedos, estava recoberto por uma membrana de aspecto metálico, que combinava com sua pele bronzeada.

Senhores de Castelo são uma ordem de pessoas com habilidades especiais, reunidas no multiverso para preservar a paz em todos os planetas banhados pelos Mares Boreais. Do primeiro livro ao quarto, acompanhamos dois companheiros, Kullat e Thagir. Acompanhamos o crescimento e as dificuldades que ambos passaram. Aprendemos sobre companherismo, amizade, valores, força, sabedoria e diversos outros pontos que constituem a ordem.

Por outro lado aprendemos sobre as mazelas da inveja, da cobiça, do anseio pelo poder. Aprendemos sobre os problemas de se amar cegamente, ou confiar sem entender. Vimos o horror que a falta de perdão causa.

Em Renúncia, somos levados para Ev’ve onde Volgo tenta por fim concluir seus planos. Milênios de planejamento e junção de forças tentam alcançar os objetivos do mago. Nos três primeiros livros nos questionamos sempre o real motivo de Volgo fazer o que faz e posso afirmar que temos a resposta para isso.

Os autores conseguiram criar uma linha cronológica coesa, que vai fechando perguntas abertas em livros passados, mas ao mesmo tempo fazendo surgir novas perguntas, novos anseios de histórias que passam rápido pelo último livro.

Ao lado dela, viu um ser de tez dourada, carregando um rifle prateado nas mãos. Suas feições eram as de um homem, ainda que pequenas engrenagens nas têmporas denunciassem que não era inteiramente humano. Era atlético, com músculos definidos cobertos pela pele dourada. Um colete cinza protegia o peito largo, deixando à mostra algumas engrenagens diminutas nos ombros e articulações, que giravam a cada movimento.

Para quem acompanha o mercado editorial e mesmo faz parte dos grupos de Senhores de Castelo, sabe como tivemos que esperar um ano após o livro terminado, para tê-lo publicado. Fora os cortes que o mesmo teve que sofrer para atender o mercado. Porém, nada disso tirar o brilho da conclusão de uma saga.

Comentei na primeira resenha os detalhes da criação de um universo fantástico chamado Multiverso, que trouxe para os leitores uma miríade de mundos e possibilidades. Falei dos detalhes que os autores conseguiram implantar, deixando os leitores com os pés no chão mesmo quando estão explicando uma raça não humanoide.

Os autores comentam em uma carta direcionada aos leitores a dificuldade em decidir como seria o “final” da saga. E mesmo sem seguir a recomendação dos autores de aguardar uma semana para terminar de ler a carta, achei excelente como a trama ficou e as possibilidades que isso dá.

Pois bem. Dá pra ver que recomendo a saga e recomendo conhecer os autores, certo? Sou imensamente grato por ter feito parte do Muro dos Registros (Certificado N0908) e ter podido interagir com um universo tão rico e criado por pessoas tão próximas. Mesmo G. Norris tendo falecido nesse plano e ido para os Mares Boreais, tenho certeza que ele participará de alguma forma de sagas futuras.

Wa puma! E o Multiverso vive =)

Até a próxima.

Photo by Jeremy Thomas on Unsplash