Resenha: Cinquenta tons de liberdade – E. L. James

/Editora Intrínseca/Resenhas/

50-tons-de-liberdade-estante-dos-sonhosEditora: Editora Intrínseca
Autor: E. L. James
ISBN: 978858057216
Edição: 1
Número de páginas: 543
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Quando a ingênua Anastasia Steele conheceu o jovem empresário Christian Grey, teve início um sensual caso de amor que mudou a vida dos dois irrevogavelmente. Chocada, intrigada e, por fim, repelida pelas estranhas exigências sexuais de Christian, Ana exige um comprometimento mais profundo. Determinado a não perdê-la, ele concorda. Agora, Ana e Christian têm tudo: amor, paixão, intimidade, riqueza e um mundo de possibilidades a sua frente. Mas Ana sabe que o relacionamento não será fácil, e a vida a dois reserva desafios que nenhum deles seria capaz de imaginar. Ana precisa se ajustar ao mundo de opulência de Grey sem sacrificar sua identidade. E ele precisa aprender a dominar seu impulso controlador e se livrar do que o atormentava no passado. Quando parece que a força dessa união vai vencer qualquer obstáculo, a malícia, o infortúnio e o destino conspiram para transformar os piores medos de Ana em realidade.

Minhas impressões

– Eu prometo ser seu porto seguro e guardar no fundo do meu coração nossa união e você – sussurra ele, a voz rouca. – Prometo amá-la fielmente, renunciando a todas as outras, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, não importa o rumo que nossa vida tomar. Eu a protegerei e a respeitarei, e confiarei em você. Partilharei das suas alegrias e tristezas, e a confortarei quando preciso. Prometo cuidar de você, apoiar suas esperanças e seus sonhos e mantê-la segura a meu lado. Tudo o que é meu a partir deste momento, até que a morte nos separe.

Desde o primeiro livro ficamos curiosos pra descobrir o final, pelo menos é assim comigo em todo livro e confesso que não consegui adivinhar este. Claro que tinha uma ideia, mas nada assertivo.

Esquecendo um pouco o Christian dominador e seguindo a linha do segundo livro, Cinquenta tons de liberdade traz o mais importante: a história de Christian. Olhando pra trás, pro primeiro livro, parecia mais um livro que falaria somente sobre BDSM, mas foi muito mais que isso.

Depois da guinada na história do segundo livro, que passou de um Christian dominador pra um Christian apaixonado, toda aquele alvoroço em torno do erotismo do livro foi esquecido. Óbvio que isso deu um tempero sem igual pro livro, mas o mais importante era entender o que levou o Christian à esse estilo de vida.

Tem alguns spoiler bem pequenos abaixo. Desculpa, mas não resisti =/

pós Christian decidir ir além do relacionado Dominador/Submissa, percebemos o esforço que ele faz pra tentar deixar essa “vida” de lado e seguir o romance que Anastasia tanto queria e o efeito que Ana causa nele é visível e comovente como a família desconhecia esse lado dele.

O silêncio cai sobre nós, pois estamos tentado ouvir a letra de ‘Wherever You Will Go’ em sua voz doce e melodiosa. Eu já o ouvi cantar antes; eles não?

Logo quando achamos que o livro seguiria um romance “apimentado”, a trama fica maior e mais intensa e coisas até então esquecidas, voltaram ao enredo.

– Oi, Ana – diz Hanna. – Tem uma tal de Leila Williams aqui querendo falar com você. Ela diz que é particular.

Em meio a toda a confusão de sentimentos de Christian, Ana tem que lidar com uma situação delicada com Ray que prova como Christian está disposto a mudar, permanecendo ao seu lado.

– O que o pai do José quer comigo?
– Querida, me desculpe por ligar para você no trabalho. É sobre o Ray. – Sua voz oscila.

Sem contar algumas surpresas no meio do caminho…

Eu me sento e, sem dizer uma palavra, entrego-lhe o frasco. Ela mergulha nele um pequeno bastonete branco e observa. Então levanta as sobrancelhas quando a cor muda para azul-claro…”

Eu não quis colocar mais nenhuma parte do livro daqui pra frente pra evitar mais spoilers, mas confesso que tem algumas partes que você tem que prender a respiração pra continuar lendo.

O mais incrível que achei na obra inteira, reunindo os três livros, foi a trama. Como falei mais acima, parecia que seria uma trilogia que falava basicamente de uma cultura BDSM, mas não, a autora conseguiu criar um enredo completo, usando na verdade, a cultura BDSM como um pano de fundo pra toda a obra que é fascinante. Engana-se quem acha que esse é um livro feminino. Queria até saber quem foi a pessoa infeliz que colocou esse estigma no livro, que aposto, reduziu a venda entre homens…

Um detalhe extremamente importante que a autora tomou cuidado foi em expor finalmente, como foi a infância de Christian, fechando diversos pontos que ficariam abertos. Mais interessante ainda, é a visão de Christian ao conhecer Anastasia na entrevista que ela fez. O desejo foi mútuo, não somente de Ana.

Enfim. Uma trilogia muito bem elaborada, o final não deixa nada a desejar e o enredo dos três livros são extremamente ligados. Cada ponto que foi abeto em um livro, foi fechado até o final dos três livros, coisa que poucos autores conseguem fazer. Recomendo intensamente a leitura destes livros. Aposto que a criatividade com seu parceiro(a) vai aumentar bastante, além da história empolgante.

Até a próxima =)