Resenha: O Leitor do Trem das 6h27 – Jean-Paul Didierlaurent

/Editora Intrínseca/Resenhas/

Editora: Intrínseca
Autor: Jean-Paul Didierlaurent
ISBN: 9788580577914
Edição: 1
Número de páginas: 176
Acabamento: Brochura
Classificação EDS: 100 de 100 pontos
Compre: Amazon

Operário discreto de uma usina que destrói encalhe de livros, Guylain Vignolles é um solteiro na casa dos trinta anos que leva uma vida monótona e solitária. Todos os dias, esse amante das palavras salva algumas páginas dos dentes de metal da ameaçadora máquina que opera.
A cada trajeto até o trabalho, ele lê no trem das 6h27 os trechos que escaparam do triturador na véspera. Um dia, Guylain encontra textos de um misterioso desconhecido que vão fazê-lo buscar cores diferentes para seu mundo e escrever uma nova história para sua vida.
Com delicadeza e comicidade, Jean-Paul Didierlaurent revela um universo singular, pleno de amor e poesia, em que os personagens mais banais são seres extraordinários e a literatura remedia a monotonia cotidiana.

Minhas impressões

Comecei a ler O Leitor do Trem das 6h27 sem nenhuma referência da obra ou expectativas além da curiosidade pela proposta imagética provocada pelo título e confesso que foi uma surpresa boa! Livro curtinho, de leitura rápida e envolvente.

Somos apresentados a Guylain Vignolles, pessoa comum, introspectiva, vivendo um dia de cada vez, sem grandes expectativas, sonhos ou projetos de futuro. Não parece de todo infeliz, apenas acomodado com a vida medíocre que leva. Os dias se repetem sem grandes novidades, mas é curioso saber que diariamente ele, durante o percurso para o trabalho no trem das 6h27, lê em voz alta trechos aleatórios sob os olhares curiosos e atônitos dos demais passageiros.

Resenha: Antes que eu vá – Lauren Oliver

/Editora Intrínseca/Resenhas/

antes-que-eu-vá-estante-dos-sonhosEditora: Intrínseca
Autor: Lauren Oliver
ISBN: 9788580570595
Edição: 1
Número de páginas: 368
Acabamento: Brochura
Compre: Amazon
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Samantha Kingston tem tudo: o namorado mais cobiçado do universo, três amigas fantásticas e todos os privilégios no Thomas Jefferson, o colégio que frequenta — da melhor mesa do refeitório à vaga mais bem-posicionada do estacionamento.
Aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, deveria ser apenas mais um dia de sua vida mágica e perfeita. Em vez disso, acaba sendo o último. Mas ela ganha uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. E, ao reviver aquele dia vezes seguidas, Samantha desvenda o mistério que envolve sua morte — descobrindo, enfim, o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder.

Minhas impressões

O livro por inteiro foi uma grande surpresa. Relutei para ler, mas quando comecei não parei mais. O que mais me chamou a atenção foi à magnífica capa e não a sinopse em si. Terminei de ler em menos de uma semana e já reli duas vezes.

A principio somos apresentados à vida de Sam e suas amigas. Um grupo de garotas totalmente fúteis, superficiais e que vivem para atormentar os que não são como elas.

O começo do livro pode te dar uma desanimada, pois o enfoque inicial é a vida dessas garotas, como elas se comportam e o que elas usam, porém tudo muda quando Sam e suas amigas vão a uma festa que vai mudar a vida de uma delas para sempre. Ou melhor, vai acabar com a vida de uma delas. Totalmente.

E a “escolhida” é Samantha. Sam morre em um acidente de carro. Não, não é spoiler! É só o inicio dessa magnífica história.

No que seria o dia seguinte, o despertador toca e Sam acorda. Terá sido um sonho? Não, ela não está no dia seguinte. Ela está revivendo o dia de sua morte.

Lauren conseguiu com maestria mostrar esse mundo adolescente, cheio de problemas, com muitos sonhos e uma gama imensa de superficialidade. Ela realmente nos mostra o poder do ser e do ter e o quão importante são as nossas escolhas.

O livro carrega uma carga dramática imensa, onde problemas familiares e bullying estão presentes. O bullying por sua vez, é tratado de uma maneira totalmente contraria do que vemos com frequência em outros livros. Aqui somos apresentados a personagens que praticam o preconceito e não há personagens que sofrem deste mal.

Em cada um dos sete capítulos, acompanhamos Sam revivendo aquele mesmo dia. Se no início ela acha que tudo não passa de um pesadelo, ao longo dos dias vai percebendo que, de fato, está morta… Mas que isso não necessariamente é o fim.

A autora consegue fazer o leitor parar e refletir: Opa, será que estou agindo corretamente? Sim, é assim que Lauren nos faz sentir. No meio dos acontecimentos, há umas pausas na narrativa, diagramadas em itálico, onde Samantha conversa com o leitor. Esses trechos são os mais intrigantes, quando ela convida você para se por no lugar dela.

Lauren está de parabéns pela narrativa leve e fácil de ser entendida. O que me resta a dizer é que, leiam este livro e se emocionem com a história de Samantha.

Compartilhe este link para ganhar pontos

Resenha: O Circo da Noite – Erin Morgenstern

/Editora Intrínseca/Resenhas/

circo-da-noite-estante-dos-sonhosEditora: Intrínseca
Autor: Erin Morgenstern
ISBN: 9788580571608
Edição: 1
Número de páginas: 368
Acabamento: Brochura
Compre: Amazon
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar. Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá. À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Celia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam. Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.

Minhas Impressões

“O circo chega sem avisar” é assim que começa esse livro, que é contado com riquíssimos detalhes, desde a primeira até a última página. Conta a história de um circo que somente funciona a noite, do qual tem como símbolos as cores preta, branca e cinza, todas as tendas, placas, bilhetes e vestimentas tem essas três cores.

Abre ao cair da noite, fechar ao amanhecer

Antes de sua idealização esse circo foi criado em reuniões que somente eram realizadas após a meia-noite e após jantares muito bem elaborados com música e as comidas mais diversificadas e maravilhosas que qualquer pessoa pode imaginar.

Entre seus idealizadores encontramos um empreendedor, uma estilista, duas consultoras de negócios, um mágico ilusionista e um arquiteto, durante anos houve os preparativos dentre eles um relógio totalmente incomum onde suas horas e ponteiros foram inspirados nos temas circenses.

Entre toda essa preparação para “Le Cirque des Rêves”, somos envolvidos em histórias paralelas, entre uma delas um desafio de vida e morte que no começo acreditamos fielmente ser de habilidades entre dois mágicos ilusionistas que tem aptidões e métodos diferentes para sua realização, e por obra desse desafio utilizam o circo de forma indireta para essa competição, que no final da competição praticamente determinará o futuro do circo e de seus artistas.

O circo é maravilhoso, cada tenda é muito bem elaborada, de forma que os visitantes possam até se perder entre elas, há uma tenda de labirintos totalmente diferentes do qual usa como o tema nuvens, postas em camadas que formam na verdade um labirinto.

Há um jardim de gelo onde todas as plantas são de gelo e no momento em que uma planta se quebra automaticamente uma nova nasce em seu lugar, há uma tenda das arvores dos desejos, um carrossel encantado onde os animais tem praticamente vida, a tenda da vidência onde a cartomante lê de verdade as cartas e as mesmas lhe diz o que tem a dizer, não podemos esquecer dos equilibristas, da tenda com animais e claro a tenda da ilusionista que na verdade é uma das competidoras, são tantas tendas que em uma noite é impossível visitar todas. Sem dúvida a tenda mais intrigante é a da ilusionista, pois ela consegue passar a maior emoção de realidade tentando parecer truques que envolve aves e a própria moça, Célia.

No meio do pátio no centro de todo o circo e tendas há um caldeirão onde as chamas não são vermelhas e nem de fundos alaranjados azuis, mas com chamas brancas o que faz com que todos quando a olhem faça pensar que não são chamas de verdade, foi feito e é controlado por um rapaz, Marco, que é o adversário da ilusionista Célia.

Quando ouvimos alguém falar que um circo é mágico não acreditamos tão fielmente, apesar de seus lindos espetáculos, mas “Le Cirque des Rêves” de fato é mágico, todo em sua essência e materialização é mágica, assim como seus artistas, na verdade esse circo em especial é um tabuleiro onde esses dois jovens estão testando suas aptidões, porém não de forma competitiva, mas sim de uma forma que a cada tenda nova eles tentam fazer o melhor de si sempre pensando no adversário, não como um adversário, mas sim como uma forma de agradecimento e presente para expor o quanto sente um pelo outro, durante anos esse jogo se formou assim até o momento em que esses jovens já estão cansados de terem que sempre presentear com novas habilidades, sendo que na verdade o que eles querem é viver juntos e felizes. Mas como estão um jogo que lhes foi imposto por seus pais, eles são obrigados a ter que achar uma solução para que o circo e os demais artistas continuem vivos e o casal possa viver esse amor.

É um livro muito encantador, que nos faz de verdade viajar, e imaginar como seriam seus personagens, o circo, seus detalhes, eu me envolvi tanto nele que teve um momento que parecia que eu não estava mais lendo e sim assistindo e até imaginava como era a voz de cada personagem.

Mas tenho que ressaltar que para ler o livro deve haver muita atenção e sem distração, pois a cada capitulo temos a continuação de uma história que começou em uns três capítulos antes e o período cronológico é essencial para que possa continuar a aprecia-lo, pois como falei de início é uma história, um legado que está sendo relatado, que somente no final do livro se faz entender.

… com tanta rapidez que parece nem se mover, ela pega a jaqueta no palco e a atira sobrea a cadeira, na qual, em vez de cair, gira, dobrando-se sobre si mesma. Num pisca de olhos, as dobras de seda viram penas negras e brilhantes, grandes asas batendo, e é impossível situar o momento em que se transforma em corvo e deixam de ser um tecido. O corvo sobrevoa as cadeiras de veludo vermelho em direção ao balcão do teatro, onde voa em círculos curiosos…

Uma história maravilhosa que deixa qualquer um deslumbrado, recomendadíssimo 😉

Resenha: A Garota que eu quero – Markus Zusak

/Editora Intrínseca/Resenhas/

Editora: Intrínseca
Autor: Markus Zusak
ISBN: 9788580573732
Edição: 1
Número de páginas: 176
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  70 de 100 pontos
Compre: Amazon

Cameron Wolfe é o caçula de três irmãos, e o mais quieto da família. Não é nada parecido com Steve, o irmão mais velho e astro do futebol, nem com Rube, o do meio, cheio de charme e coragem e que a cada semana está com uma garota nova. Cameron daria tudo para se aproximar de uma garota daquelas, para amá-la e tratá-la bem, e gosta especialmente da mais recente namorada de Rube, Octavia, com suas ideias brilhantes e olhos verde-mar. Cameron e Rube sempre foram leais um com o outro, mas isso é colocado à prova quando Cam se apaixona por Octavia. Mas por que alguém como ela se interessaria por um perdedor como ele? Octavia, porém, sabe que Cameron é mais interessante do que pensa. Talvez ele tenha algo a dizer, e talvez suas palavras mudem tudo; as vitórias, os amores, as derrotas, a família Wolfe e até ele mesmo.

Minhas Impressões

Um livro curto e totalmente escrito em primeira pessoa, a cada capítulo temos um pouco dos pensamentos de Cameron, o personagem principal da história que deve ter em torno de 17 anos de idade, mora com seus pais, uma irmã e o irmão Rube, uma família normal, de classe baixa onde os pais trabalham muito para manter as contas da casa e os filhos. A história é contada na época atual (assim presumo).

Cameron é um rapaz solitário, que tem como amigo o irmão Rube e mais ninguém, ele sempre se espelha em Rube, como exemplos do que é certo e do que é errado, e isso é o que faz esse garoto amadurecer, pois de acordo com os exemplos de seus irmãos ele criou sua própria personalidade, porém tem problemas em fazer e manter amizades e ainda sofre com problemas de inferioridade, ele se sente uma pessoa derrotada, um inútil, tanto que essa auto afirmação de ser derrotado é confirmada quase no final do livro onde o seu irmão mais velho, Steve, lhe fala sem rodeios o que achava dele, e Cameron entende que ele foi mesmo um dia, mas que isso no momento da revelação não teria mais relevância, dessa forma não traria constrangimentos dentro do laço de irmãos.

Ao contrário de seu irmão Rube, que a cada semana tem namorada nova, Cameron não! Ele acredita de verdade que esse é um dos exemplos do seu irmão que não quer para si, mas um dia em que ele estava andando sem rumo com seu irmão Rube ele se apaixona por uma garota e a partir desse dia (quase todos os dias) ele vai à frente da casa dessa menina e torce e espera que a garota um dia venha a sair da casa e falar algo com ele, mas isso nunca acontece, então ele acaba tendo mais certeza a cada dia que ele de fato é um derrotado. Mas um belo dia a ex-namorada de seu melhor amigo/irmão Rube o surpreende, com uma visita inesperada e confessa a que adoraria que ele sempre ficasse na frente de sua casa, pois ela daria mais valor do que essa menina que nunca vai ao seu encontro.

E a partir desse dia, tudo muda na vida de Cameron, muda a forma com que ele se relaciona com seus irmãos, com as demais pessoas próximas aos seus parentes, suas responsabilidades e seus pensamentos. Ele descobre que a vida é mais do que se preocupar com o que os outros iram pensar dele, ou de como ele se veste, ou de como seu cabelo está mal arrumado, pois nada disso mais importa, o que importa para ele é a vida com a família e sua namorada Octavia, que o completa e monstra que de fato ele é mais do que muita gente esperava.

Ah! Não podemos esquecer de falar de Miffy, um lulu-da-pomerânia, um cachorro de personalidade forte, porém muito apegado ao Cameron e ao Rube, os rapazes tem um acordo com os donos de Miffy do qual os garotos tem que levar o pobre cachorro para passear alguns dias da semana, e nisso começa a nascer um amor pelo cão. Eles se preocupam com a saúde e o bem estar do bichinho, mas no final do livro o Miffy infelizmente morre…

Um livro que não tive um apego sentimental, se está à procura de emoções fortes, então esqueça, pois esse livro não tem esse apelo, mas o livro ressalto alguns pontos interessantes como o complexo de inferioridade com as demais pessoas da escola, o problema de ser o casula, o envolvimento dele com a família, que ao que me pareceu não eram muito próximos, exceto com Rube, o primeiro amor de um garoto e toda sua insegurança de como agir e as mudanças na vida da fase adolescente para adulto.

Outro ponto interessante no livro é como ele é contado, é como se o autor estivesse contando uma história que aconteceu lá no passado, e ele viu nisso uma ótima oportunidade de passar isso para as demais pessoas.

Enfim, quem tem interesse em leitura por prazer e gosta de histórias sem muita emoção, é um prato cheio, mas para o meu paladar faltou um pouquinho de tempero.

Até a próxima 😉

Resenha: A culpa é das estrelas – John Green

/Editora Intrínseca/Resenhas/

a-culpa-e-das-estrelas-john-green-estante-dos-sonhosEditora: Intrínseca
Autor: John Green
ISBN: 9788580572261
Edição: 1
Número de páginas: 288
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

Minhas impressões

Comecei a ler A culpa é das estrelas em um domingo à tarde, porém no sábado da noite anterior estava assistindo um filme que falava do sofrimento de uma família do qual a filha sofria com um câncer.

E esse é um livro que já estava interessada em lê (bem antes do filme), então desde o filme já estava em uma pegada um pouco tensa e chorosa, principalmente porque a sete meses um parente muito próximo lutou nessa guerra contra o próprio corpo.

O livro é extraordinário, é engraçado, é sério e acima de tudo é inteligente. A todo momento me colocava em conflitos de pensamentos, muitos questionamentos dos personagens são os mesmos que temos em várias situações (se nunca teve, pode ter certeza que uma hora terá!), não só no momento em que estamos com um câncer.

Como os nossos familiares se sentem? O que eles pensam? Como será a vida dos nossos pais? Ou dos nossos filhos?
Eu devo deixar essa pessoa maravilhosa se apaixonar por alguém que está condenado? Devo afasta-lo de mim, para que ele não sofra eternamente com a minha perda para a morte? Será que está certo seguir esse relacionamento? Sinto que vou me machucar!

Qual é o tamanho da dor emocional, psicológica e física?

Bem… são muitos questionamentos no fim desse livro, questionamentos que nos fazem ver que de fato cada minuto é mais que precioso, e que de fato não temos um futuro, mas sim planos para o futuro e nada mais do que isso.

Apesar de tudo, após sua leitura, vejo que não é uma história que te deixe para baixo, muito pelo contrário, as piadas de Augustus e Isaac são perfeitas, mostra que o bom humor, as amizades e o amor ultrapassa qualquer um dos questionamentos citados acima, que o amor é eterno e rompe qualquer barreira entre o hoje e o amanhã, entre o céu e a terra, ou entre a vida e a morte. Nos mostra que tudo que parece ruim tem seu lado bom, tem sua piada, tem sua experiência e o melhor, tem o amor.

Se pudesse descrever o livro eu diria “Uau!”.

Daqui a um ano quero ler de novo e ver quais serão minhas impressões.
Até o próximo =)

Resenha: Para Sempre – Imortais – Alyson Noel

/Editora Intrínseca/Resenhas/

para-sempre-sua-alyson-noel-estante-dos-sonhosEditora: Intrínseca
Autor: Alyson Noel
ISBN: 9788598078625
Edição: 1
Número de páginas: 304
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  80 de 100 pontos

Ever Bloom tinha uma vida perfeita: era uma garota popular, acabara de se tornar líder de torcida do principal time da escola e morava numa casa maravilhosa, com o pai, a mãe, uma irmãzinha e a cadela Buttercup. Nada no mundo parecia capaz de interferir em sua felicidade, o céu era o limite! Até que um desastre de automóvel transformou tudo em um pesadelo angustiante.
Ever perdeu toda a sua família. Mudou de cidade, de escola, de amigos, e agora, além de todas essas transformações em sua vida, ela precisa aprender a conviver com uma realidade insuportável: após o acidente, ela adquiriu dons especiais.
Ever enxerga a aura das outras pessoas, pode ouvir seus pensamentos e, com um simples toque, é capaz de conhecer a vida inteira de alguém. É insuportável. Ela foge do contato humano, esconde-se sob um capuz e não tira dos ouvidos os fones do i-pod, cujo som alto encobre o som das mentes a seu redor. Até que surge Damen. Tudo parece cessar quando ele se aproxima. Só ele consegue calar as vozes que a perturbam tão intensamente. Ever não entende o porquê disso, mas é incapaz de resistir à paz que ele lhe proporciona, à sensação de, novamente, ser uma pessoa normal. Ela não faz ideia de quem ou o quê Damen realmente é. Sua única certeza é estar cada vez mais envolvida… e apaixonada.

Minhas impressões

O que dizer sobre o livro para sempre. Bem ele é um livro intrigante no qual sua narração é feita em primeira pessoa e essa pessoa é a Ever personagem principal da história.

Ever é uma menina que passou por uma perda muito grande, no qual sua família morreu em um acidente de carro no qual Ever foi a única sobrevivente. Mesmo todos dizendo que fora um acidente, Ever culpa a si mesma todos os dias.

Desde o acidente Ever obteve dons especiais, ela conseguia ler mentes, ver a áurea das pessoas, ver pessoas que não concluíram a travessia após a morte, como sua irmã Riley, e em um simples toque descobrir os segredos mais obscuros da pessoa.
Mesmo com todos esses poderes Ever é uma menina tímida e reversada. Seus maiores amigos são seu ipod, seus óculos escuros e suas blusas de moletom com capuz. O que Ever não esperava é que um novo garoto transferido para sua escola pudesse mudar sua vida o nome desse garoto é Damen.

Quando Ever vê Damen pela primeira vez tem a impressão de já ter visto aqueles olhos em algum lugar; o que Ever não sabe é que Damen é um Imortal que salvou sua vida no dia do acidente. É também o imortal que é apaixonado por ela a quatrocentos anos. Apaixonado por cada reencarnação de Ever.

A história gira em torno de várias revelações sobre quem Ever e Damen realmente são e como um amor pode superar a imortalidade a suas reencarnações.

Para quem ama um super romance com um toque de suspense, esse livro é o ideal.

Resenha: Crescendo – Hush Hush – Becca Fitzpatrick

/Editora Intrínseca/Resenhas/

crescendo-hush-hush-estante-dos-sonhosEditora: Intrínseca
Autor: Becca Fitzpatrick
ISBN: 9788580570090
Edição: 1
Número de páginas: 288
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

A vida de Nora Grey ainda está longe de ser perfeita. Sofrer uma tentativa de assassinato não foi a melhor das experiências, mas, pelo menos, Nora ganhou um anjo da guarda: Patch, que de angelical não tem absolutamente nada. Ele é lindo, irresistível, misterioso… E está com ela. O problema é que ele sido cada vez mais evasivo, e, o pior: parece muito interessado na grande inimiga de Nora, Marcie Millar.
Não fosse isso, Nora jamais teria notado Scott Parnell, velho amigo da família que acaba de voltar para a cidade. Ainda que Scott a deixe furiosa na maior parte do tempo, é impossível não se sentir atraída. Lá no fundo, porém, ela tem certeza de que ele guarda um segredo.

Minhas impressões

Anjo. Levantei os olhos quando Patch disse meu apelido em meus pensamentos. Estar perto de você, da forma que for, é melhor que nada. Não vou perdê-la. Ele fez uma pausa e, pela primeira vez desde que o conheci, vi uma sombra de preocupação em seus olhos. Mas já caí uma vez. Se eu der aos arcanjos motivos para imaginarem que estou remotamente apaixonado por você, ele vão me mandar para o inferno. Para Sempre

Nunca fiquei tão ansiosa para ler um livro desde a saga crepúsculo…rs Ler “Sussurro” foi algo inexplicável para mim, pois nunca havia imaginado um amor como o de um Anjo caído e um mortal ou melhor um semi mortal…
A história de “Crescendo” Becca Fitzpatrick nos leva para outro nível do relacionamento entre Nora e Patch, o livro começa contando como foi que ocorreu a morte de Harrison Grey pai de Nora. Depois disso o relacionamento de Nora e Patch vai ao chão quando Nora diz que ama Patch, a partir dai Patch se afasta de Nora pois arcanjos tentam arrumar desculpas para mandar Patch ao inferno, Nora ao descobrir isso fica super furiosa com o destino dos dois e termina com Patch.

Como se a vida já não fosse injusta o suficiente com Nora a mesma descobre que Patch esta se relacionando com a menina que ela mais detesta Marcie Miller e isso a deixa com mais raiva de Patch e ao mesmo tempo Nora começa a ver seu pai e recebe um presente dizendo que seu pai foi morto pela mão negra. A partir dai Nora tenta de toda a forma descobrir quem é o assassino de seu pai.

Se sentindo só e totalmente irritada com Patch, Nora se envolve com um velho amigo de infância Scott Parnells no qual ela descobre que ele é um Nefilin, Patch tenta fazer com que Nora se afaste dele pois ele faz parte de uma sociedade de nefilins de sangue puro. Nora não escuta Patch e quase comete o maior erro de sua vida.

Ao ter uma conversa super descontraída com Rixon o melhor amigo de Patch, Nora questiona Rixon se ele sabe algo sobre a Mão Negra, Rixon diz que mão negra era um apelido de Patch isso a deixa super furiosa e ela tem quase certeza de que o assassino de seu pai é Patch, em busca da verdade Nora passa por vários perigos para descobrir essa verdade.

No final ela descobre quem é o verdadeiro assassino de seu pai…”Rixon” e ele tenta matar Nora para poder ter um corpo humano, mais quem surge para salva-la?

Patch seu anjo da guarda e seu amor eterno… O livros acaba com a declaração de que Patch ama Nora, mais não acabou em meio a tal declaração ela descobre quem é o Mão Negra Sr. Miller o seu pai biológico…

Não deixem de ler esse livro, ele simplesmente de cativou…Esse eu recomendo a leitura.

Bjos Pamy*

Resenha: Cinquenta tons mais escuros – E. L. James

/Editora Intrínseca/Resenhas/

50-tons-mais-escuros-estante-dos-sonhosEditora: Intrínseca
Autor: E. L. James
ISBN: 9788580572100
Edição: 1
Número de páginas: 485
Acabamento: Brochura
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e concentra-se em sua nova carreira, numa editora de livros. Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir. Em pouco tempo, Ana descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível. Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana se vê diante da decisão mais importante da sua vida.

Minhas impressões

Com um final pra lá de conturbado o primeiro livro da série deixou todo mundo perplexo e ávidos por ler o segundo, foi assim que eu me senti ao pegar o Cinquenta tons mais escuros na mão (tudo bem que era ebook). Estava meio preocupado quando comecei a ler o segundo livro, com medo de que fosse mais do mesmo. Ainda bem que me enganei.

Fazendo um leve resumo do primeiro livro, notamos um romance em segundo plano, que serve mais pra dar “liga” na história. Isso deixou alguns leitores sentindo falta de algo. No segundo livro, onde todo mundo esperava um Dominador, pra tomar as rédeas da relação e nos levar a mais experiência exóticas no “quarto de jogos”, vemos uma mudança drástica no comportamento de Christian.

As aparências enganam – diz ele, baixinho. – Não estou nem um pouco bem. Eu sinto como se o Sol tivesse se posto e não tivesse nascido por cinco dias, Ana. Estou vivendo uma noite infinita.

Mesmo com seu novo emprego Ana não consegue esquecer a experiência que teve com Christian e não sabia se havia gostado ou se sentia repulsa, porém, mesmo assim resolveu deixar Christian leva-la à exposição de José, onde tiveram um recomeço. Como falei um pouco acima, Ana também percebeu a mudança no comportamento de Christian, que demonstrava a cada dia estar disposto a dar o algo a mais que Ana tanto desejava.

Aquele romance “insuficiente” no primeiro livro vem em abundância neste, gerando suspiros os leitores, sem falar de excitação com algumas passagens do livro. Tudo que aconteceu no primeiro ficara melhor nesse, pois agora víamos nos dois uma paixão enlouquecedora, dando um toque de amor em suas relações que anteriormente eram contratuais, digamos.

Algo interessante no livro, foi a abertura do universo dos dois, começamos a conhecer um pouco mais da história de Christian, e até mesmo alguns segredos que Ana tão perseverantemente conseguiu descobrir. Sem contar em novos conhecidos de Ana que não são nada honestos (não vou falar mais do que isso =p).

Mesmo nessa paixão ardente, Ana não consegue deixar de pensar que não é suficiente para o CEO Sr. Gray. Todas as intervenções que acontecem entre eles neste livro, levam Ana a repensar o que estava acontecendo e se iria mesmo tomar a decisão tão importante que Christian estava esperando.

– Não – sussurra ele, os olhos arregalados de pânico, e, de repente, ele está de joelhos diante de mim, a cabeça abaixada, as mãos espalmadas nas coxas. Ele respira fundo e não se move.
– Christian! O que você está fazendo? – repito, numa voz aguda. Ele não se move. – Christian, olhe para mim! – ordeno, em pânico.

Quando cheguei nesse trecho acima, não queria ler mais. Tamanho o susto que eu tomei. Jamais eu esperaria tal ação de Christian. Ana tem que decidir rapidamente o que quer fazer da sua vida. Se seria junto com o Sr. Grey ou não, dependia somente dela.

Enfim. O segundo livro é melhor que o primeiro, pois conseguiu mesmo após as revelações do primeiro me surpreender, muito, tanto que demorei a conseguir fazer uma resenha que não revelasse muito sobre o livro, pra não tirar essa oportunidade de vocês. Por favor comentem o que acharam e até a próxima =)