Resenha: Ninguém nasce herói – Eric Novello

/Editora Seguinte/Resenhas/

Editora: Seguinte
Autor: Eric Novello
ISBN: 9788555340420
Edição: 1
Número de páginas: 384
Acabamento: Brochura
Classificação EDS: 100 de 100 pontos
Compre: Amazon

Num futuro em que o Brasil é liderado por um fundamentalista religioso, o Escolhido, o simples ato de distribuir livros na rua é visto como rebeldia. Esse foi o jeito que Chuvisco encontrou para resistir e tentar mudar a sua realidade, um pouquinho que seja: ele e os amigos entregam exemplares proibidos pelo governo a quem passa pela praça Roosevelt, no centro de São Paulo, sempre atentos para o caso de algum policial aparecer. Outro perigo que precisam enfrentar enquanto tentam viver sua juventude são as milícias urbanas, como a Guarda Branca: seus integrantes perseguem diversas minorias, incentivados pelo governo. É esse grupo que Chuvisco encontra espancando um garoto nos arredores da rua Augusta. A situação obriga o jovem a agir como um verdadeiro super-herói para tentar ajudá-lo — e esse é só o começo. Aos poucos, Chuvisco percebe que terá de fazer mais do que apenas distribuir livros se quiser mudar seu futuro e o do país

Minhas impressões

Não poderia deixar essa resenha para o próxima semana, os outros livros que estavam agendados que me perdoem.

Antes de mais nada gostaria de falar do autor. Eric Novello (o sobrenome soa mais como Novéllo) é autor de cinco livros e mais alguns contos, além de tradutor. O conheci por acaso em uma bienal quando peguei um exemplar de Exorcismos, amores e uma dose de blues por achar a capa linda. Ele apareceu para apresentar o livro e se apresentar, mesmo com um leve spoiler gostei do livro e levei. Pela resenha que você pode ver aqui, dá pra ver que gostei bastante.

Quem não entende que é responsável pelos próprios atos, pelos bons e pelos ruins, é capaz de tudo.

Resenha: O cheiro de suor – Eric Novello

/Editora Draco/Resenhas/

Editora: Draco
Autor: Eric Novello
ASIN: B0091UNOL2
Edição: 1
Número de páginas: 19
Acabamento: Ebook
Classificação EDS: 100 de 100 pontos

Em uma grande metrópole, um lobisomem com um dom especial é obrigado a prestar serviços para a polícia em troca de não ser incomodado. Em uma das missões, ele acaba se metendo em um massacre sem volta, nesse conto que mistura fantasia e literatura noir em grande estilo.

Minhas Impressões

Já “namorava” outros títulos do Eric Novello há um bom tempo, mas não havia comprado. Assinei um plano do Kindle e pra minha surpresa esse e vários outros títulos dele estavam “de grátis”. Pra quem ainda não conhece esse autor, tem resenha do livro dele aqui. Até promoção do livro já fiz. Vale à pena. Sim, é puxação de saco sim, pois ele é autor nacional e o livro é muito bom.

Deixando a “tietagem” de lado, Cheiro de Suor é um conto de poucas páginas, mas tão imersivo que você sente como se conhecesse o personagem há muito tempo. Desde os primeiros parágrafos uma palavra não saia da minha cabeça: visceral.

Não posso rodopiar e sacar metralhadoras automáticas, disparando a raiva que sinto contra os que estão no caminho. Não tenho as armas, sóa raiva. O jeito é guardá-la ainda no peito, cuspindo e reciclando as baforadas do cigarro. Boca, pulmão, narinas.

Logo no início do conto ele descreve um beco mal iluminado, os cheiros e sensações que o protagonista sente, que é como se você estive presente, ali, sentindo aquilo. Sentindo aquele clima noturno abafado, sem nenhum vento. Quando sua pele fica meio suada, a roupa grudando no corpo. O ar rançoso e aquela sede subindo pela garganta. Enfim, assim imaginei aquele cenário e o mundo desse conto. Algo bem ao estilo Sin City.

Seja feliz, é tudo o que desejo. Nada de penitência por hoje. Não é justo ordenar penitências a quem me presenteia com a absolvição.

White é um licantropo (segundo as lendas, licantropos podem se transformar em partes, ao contrário do lobisomem que não tem essa opção. Apesar de a sinopse oficial falar lobisomem, considere um licantropo), e é contratado para um serviço. Vivendo como um mercenário ele vê a oportunidade de se livrar da polícia e aceita o trabalho. Novamente volto a falar dos detalhes. Ou eu realmente tenho uma mente muito criativa, ou o autor foi excelente nas descrições…

– E você veio pelo meu dom ou pelos meus dotes? – pergunto, afastando as pernas – O quanto está disposto a negociar?

Pois bem, por mais que seja um conto, pequeno em relação a um livro, a história é excelente. Adoraria ver esse personagem trabalhado. Sei que no livro EADB existe um personagem parecido, mas minha memória não me deixa lembrar se é o mesmo… Recomendo a leitura deste e claro, as outras obras desse autor que já conquistou espaço privilegiado na minha estante =)