Resenha: Refúgio – Harlan Coben

/Editora Arqueiro/Resenhas/

Refugio-harlan-coben-estante-dos-sonhosEditora: Arqueiro
Autor: Harlan Coben
ISBN: 9788580571608
Edição: 1
Número de páginas: 368
Acabamento: Brochura
Compre: Amazon
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Apresentado ao público pela primeira vez no suspense “Alta tensão”, Mickey Bolitar se vê obrigado a ir morar com seu tio Myron, um ex-agente do FBI, após testemunhar a morte do pai e internar a própria mãe numa clínica de reabilitação.
Agora o rapaz precisa se esforçar para conviver com o tio, de quem nunca gostou muito, e ainda se adaptar ao novo colégio. Para sua sorte, ele logo arruma uma namorada, a doce Ashley, que também é nova na escola. Quando sua vida parece estar entrando nos eixos, o destino lhe reserva uma surpresa: Ashley desaparece misteriosamente.
Determinado a não perder mais uma pessoa importante em sua vida, Mickey contará com a ajuda de seus novos amigos, os excêntricos Ema e Colherada, para seguir o rastro da namorada.

Minhas Impressões

A cada novo livro que eu pego, fico preocupado com a história. Se ela vai ser boa, se vai me instigar a ler, se eu vou ler o livro todo em algumas horas, enfim. Uma coisa que aprendi com o Harlan Coben é que não preciso me preocupar com isso. Qualquer livro que eu leia dele, sei que vou ficar desesperado pra ler logo até terminar, e não foi diferente com este.

Como não li ainda o Alta Tensão, dificilmente leio os livros na cronologia (a não ser os que exigem isso), fui apresentado ao Mickey Bolitar neste livro. A princípio achei que tinha pulado muitos livros da série e que ele era filho de Myron, mas na verdade se trata de seu sobrinho.

Após um acidente com seu pai e a decadência de sua mãe, Mickey passa a morar com seu tio, o qual ele não gosta muito. Acostumado a se mudar constantemente devido o trabalho dos pais, Mickey vê agora a possibilidade de formar amigos e ter uma vida normal na sua nova escola. Mickey é muito parecido com seu tio, alto, com porte atlético e muito habilidoso no basquete, mas ao contrário do que se esperava ele não se envolve com o grupinho de atletas da escola. Muito pelo contrário, ele passa a andar com um nerd muito estranho vulgo Colherada e com Ema, uma adolescente gordinha e com sérios problemas de baixa estima.

Quando ele se junta a esse “grupo de desajustados” já imaginei que o livro pararia por um bom tempo na velha história de Bullying que, quem acompanha literatura estrangeira conhece bem. Porém um dia no caminho da escola, Mickey é surpreendido por uma velha estranha que mora perto de sua casa e ela revela que seu pai ainda está vivo! Bom, todas as possibilidades de ter uma vida normal acabam com a afirmação de uma velha que era tida como louca pelos vizinhos.

Daí eu pensei, “fui surpreendido novamente”. O autor começa a tecer uma trama grande ao redor dessa afirmação. Mickey atordoado pela afirmação da velha, sofre outro baque, sua namorada some misteriosamente e parece que ninguém está procurando por ela! Então imagine um adolescente se metendo com bandidos terríveis atrás de uma namorada e respostas sobre seu pai, sem contar sua mãe que tem alguns problemas…

Enfim, algo que gosto muito no Harlan é que ele consegue abrir inúmeros mistérios na trama que vai te deixando cada vez mais envolvido com a história e com aquela vontade de adivinhar o que vai acontecer a seguir e no fim ele revela todos os mistérios. Esse é mais um livro do Harlan que vai ficar bem guardado no hall do melhores =). Com uma história intrigante e ação do começo ao fim, o autor consegue prender as mãos do leitor no livro até o fim. Recomendo muito esse livro, na verdade qual do Harlan Coben não é recomendável rs. Um detalhe que não posso esquecer é a capa, simplesmente excelente!

Até a próxima =)

Resenha: O Circo da Noite – Erin Morgenstern

/Editora Intrínseca/Resenhas/

circo-da-noite-estante-dos-sonhosEditora: Intrínseca
Autor: Erin Morgenstern
ISBN: 9788580571608
Edição: 1
Número de páginas: 368
Acabamento: Brochura
Compre: Amazon
Classificação EDS:  100 de 100 pontos

Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar. Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá. À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Celia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam. Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.

Minhas Impressões

“O circo chega sem avisar” é assim que começa esse livro, que é contado com riquíssimos detalhes, desde a primeira até a última página. Conta a história de um circo que somente funciona a noite, do qual tem como símbolos as cores preta, branca e cinza, todas as tendas, placas, bilhetes e vestimentas tem essas três cores.

Abre ao cair da noite, fechar ao amanhecer

Antes de sua idealização esse circo foi criado em reuniões que somente eram realizadas após a meia-noite e após jantares muito bem elaborados com música e as comidas mais diversificadas e maravilhosas que qualquer pessoa pode imaginar.

Entre seus idealizadores encontramos um empreendedor, uma estilista, duas consultoras de negócios, um mágico ilusionista e um arquiteto, durante anos houve os preparativos dentre eles um relógio totalmente incomum onde suas horas e ponteiros foram inspirados nos temas circenses.

Entre toda essa preparação para “Le Cirque des Rêves”, somos envolvidos em histórias paralelas, entre uma delas um desafio de vida e morte que no começo acreditamos fielmente ser de habilidades entre dois mágicos ilusionistas que tem aptidões e métodos diferentes para sua realização, e por obra desse desafio utilizam o circo de forma indireta para essa competição, que no final da competição praticamente determinará o futuro do circo e de seus artistas.

O circo é maravilhoso, cada tenda é muito bem elaborada, de forma que os visitantes possam até se perder entre elas, há uma tenda de labirintos totalmente diferentes do qual usa como o tema nuvens, postas em camadas que formam na verdade um labirinto.

Há um jardim de gelo onde todas as plantas são de gelo e no momento em que uma planta se quebra automaticamente uma nova nasce em seu lugar, há uma tenda das arvores dos desejos, um carrossel encantado onde os animais tem praticamente vida, a tenda da vidência onde a cartomante lê de verdade as cartas e as mesmas lhe diz o que tem a dizer, não podemos esquecer dos equilibristas, da tenda com animais e claro a tenda da ilusionista que na verdade é uma das competidoras, são tantas tendas que em uma noite é impossível visitar todas. Sem dúvida a tenda mais intrigante é a da ilusionista, pois ela consegue passar a maior emoção de realidade tentando parecer truques que envolve aves e a própria moça, Célia.

No meio do pátio no centro de todo o circo e tendas há um caldeirão onde as chamas não são vermelhas e nem de fundos alaranjados azuis, mas com chamas brancas o que faz com que todos quando a olhem faça pensar que não são chamas de verdade, foi feito e é controlado por um rapaz, Marco, que é o adversário da ilusionista Célia.

Quando ouvimos alguém falar que um circo é mágico não acreditamos tão fielmente, apesar de seus lindos espetáculos, mas “Le Cirque des Rêves” de fato é mágico, todo em sua essência e materialização é mágica, assim como seus artistas, na verdade esse circo em especial é um tabuleiro onde esses dois jovens estão testando suas aptidões, porém não de forma competitiva, mas sim de uma forma que a cada tenda nova eles tentam fazer o melhor de si sempre pensando no adversário, não como um adversário, mas sim como uma forma de agradecimento e presente para expor o quanto sente um pelo outro, durante anos esse jogo se formou assim até o momento em que esses jovens já estão cansados de terem que sempre presentear com novas habilidades, sendo que na verdade o que eles querem é viver juntos e felizes. Mas como estão um jogo que lhes foi imposto por seus pais, eles são obrigados a ter que achar uma solução para que o circo e os demais artistas continuem vivos e o casal possa viver esse amor.

É um livro muito encantador, que nos faz de verdade viajar, e imaginar como seriam seus personagens, o circo, seus detalhes, eu me envolvi tanto nele que teve um momento que parecia que eu não estava mais lendo e sim assistindo e até imaginava como era a voz de cada personagem.

Mas tenho que ressaltar que para ler o livro deve haver muita atenção e sem distração, pois a cada capitulo temos a continuação de uma história que começou em uns três capítulos antes e o período cronológico é essencial para que possa continuar a aprecia-lo, pois como falei de início é uma história, um legado que está sendo relatado, que somente no final do livro se faz entender.

… com tanta rapidez que parece nem se mover, ela pega a jaqueta no palco e a atira sobrea a cadeira, na qual, em vez de cair, gira, dobrando-se sobre si mesma. Num pisca de olhos, as dobras de seda viram penas negras e brilhantes, grandes asas batendo, e é impossível situar o momento em que se transforma em corvo e deixam de ser um tecido. O corvo sobrevoa as cadeiras de veludo vermelho em direção ao balcão do teatro, onde voa em círculos curiosos…

Uma história maravilhosa que deixa qualquer um deslumbrado, recomendadíssimo 😉