Review: Mad Max – Estrada da fúria – George Miller

/Review/

mad-max-fury-road-estante-dos-sonhosDiretor: George Miller
Elenco: Tom Hardy, Charlize Theron, Nicholas Hoult, Hugh Keays-Byrne, Josh Helman, Nathan Jones, Zoë Kravitz
Produção: Bruce Berman, Graham Burke, Christopher DeFaria, Genevieve Hofmeyr, George Miller, Doug Mitchell, Steven Mnuchin, Holly Radcliffe, Iain Smith, P.J. Voeten
Roteiro: George Miller, Brendan McCarthy, Nick Lathouris
Duração: 120 min.
Ano: 2015
País: Austrália / EUA
Gênero: Si-Fi, Ação, Aventura

Após ser capturado por Immortan Joe, um guerreiro das estradas chamado Max (Tom Hardy) se vê no meio de uma guerra mortal, iniciada pela Imperatriz Furiosa (Charlize Theron) na tentativa se salvar um grupo de garotas. Também tentanto fugir, Max aceita ajudar Furiosa em sua luta contra Joe e se vê dividido entre mais uma vez seguir sozinho seu caminho ou ficar com o grupo.

Minhas impressões

Desde que eu vi o trailer do Mad Max, fiquei ansioso pra assistir o filme. Já dá pra ter uma noção da expectativa. Ok que trailer é só pra vender, mas uma coisa eu te afirmo: você vai se surpreender…

Sempre é complicado reviver uma franquia. Alguns vão discordar falando que não se trata de uma franquia, porém só o fato de usar o nome Mad Max, vai remeter a pessoa (quem assistiu) ao antigo Mad Max que foi épico para seu tempo. Daí vem a responsabilidade do diretor em fazer um trabalho bom. Fui assistir o filme sem esperar muita ligação com os filmes antigos (apesar que eu não lembrava muito dos antigos), portanto minha expectativa é que o filme fosse algo fo**.

Substituir o Mel Gibson no papel de Max deve ter sido um filtro para a escolha do ator, e também para o ator aceitar. Porém Tom Hardy arrebenta no papel e deixa bem claro o motivo do Mad. Charlize Theron eu não preciso falar nada né? Incrível como sempre, com cabelo raspado e muita atitude. Você nem lembra do rosto delicado que ela tem =] Uma boa surpresa, e que provavelmente levará a estatueta de melhor coadjuvante, Nicholas Hoult vem como Nux. Um cara persistente que muda o rumo do filme. Claro que não vou revelar nada…

A locação usada para o filme não podia ser melhor. Um deserto inóspito dá pano para o mundo pós apocalíptico do filme e deixa a trama mais difícil. Assim como o teaser da Warner mostra, 85% mais ou menos do filme, foi todo feito de verdade, ou seja, pouca coisa foi usada de efeitos especiais. As perseguições, batidas e brigas foram todas ensaiadas, o que deixou o filme, como posso dizer… Fo** rs

Enfim. O filme pra mim, é um grande concorrente à melhor filme do ano. Eu sei que vem o Star Wars por aí, mas superar este vai ser um pouco difícil. Recomendo assistir esse filme depois de assistir os dois primeiros, só pra você sair da sala de cinema comentando com sua companhia e parecendo mais cool que os outros rsrs, mas se quiser ir assistir direto, sem problemas. Ainda assim você vai entender o filme. Outra coisa, assista mais de uma vez o filme, vale à pena.

Até mais e pls, deixe um comentário e faça um blogueiro feliz =)
 

Review: Poder sem limites – Josh Trank

/Review/

poder-sem-limites-estante-dos-sonhosDiretor: Josh Trank
Elenco: Michael B. Jordan, Michael Kelly, Alex Russell, Ashley Hinshaw, Alex Russell, Anna Wood, Joe Vaz, Matthew Dylan Roberts.
Produção: Davis Entertainment, Adam Schroeder Productions
Roteiro: Max Landis
Duração: 84 min.
Ano: 2012
País: Reino Unido/ EUA
Gênero: Drama, Terror, Ficção científica

Três amigos ganham superpoderes após ingerir uma substância misteriosa. No início, usam estes poderes para brincar com os seus conhecidos, mas com o passar do tempo passam a assumir tarefas mais difíceis, adquirindo um senso de imortalidade e impunidade. A partir daí, são forçados a avaliar conceitos éticos e morais e a traçar o limite para o uso destas novas habilidades.

Minhas impressões

Fazia um bom tempo que tava querendo assistir esse filme. Como vi críticas ruins acabei não indo assistir no cinema. Bom, o filme na maior parte se passa em primeira pessoa, ou seja, o filme tem a perspectiva interna, porém isso é bem divertido, tal qual o filme Cloverfield.

Como não existe muito mistério nesse filme vou falar um pouco sobre ele ok? Se não gostar de spoiler #bye!

O filme inicia confuso com intrigas familiares e logo você vê que o protagonista é aquele famoso personagem de filmes americano que sofrem bullying (tsc). Após um misterioso evento os três envolvidos conseguem fazer coisas incríveis! Me fala, que garoto que sofreu perseguição na escola não gostaria de superpoderes? E é aí que tá a graça do filme. Mas, sempre existe um “mas”, as coisas começam a tomar rumos estranhos e o que parecia uma brincadeira, fica fora de controle!

O filme é bom, não o melhor do gênero, mas vale a pena conferir! Até…
 

Review: Precisamos falar sobre o Kevin – Lynne Ramsay

/Review/

Precisamos-Falar-Sobre-O-Kevin-cartaz-estante-dos-sonhosDiretor: Lynne Ramsay
Elenco: Tilda Swinton, Ezra Miller, John C. Reilly, Siobhan Fallon, Ursula Parker, Jasper Newell, Rock Duer, Ashley Gerasimovich, Erin Maya Darke, Lauren Fox
Produção: Jennifer Fox, Luc Roeg, Robert Salerno
Roteiro: Lynne Ramsay, Rory Kinnear
Duração: 110 min.
Ano: 2011
País: Reino Unido/ EUA
Gênero: Drama

Eva (Tilda Swinton) mora sozinha e teve sua casa e carro pintados de vermelho. Maltratada nas ruas, ela tenta recomeçar a vida com um novo emprego e vive temorosa, evitando as pessoas. O motivo desta situação vem de seu passado, da época em que era casada com Franklin (John C. Reilly), com quem teve dois filhos: Kevin (Jasper Newell/Ezra Miller) e Lucy (Ursula Parker). Seu relacionamento com o primogênito, Kevin, sempre foi complicado, desde quando ele era bebê. Com o tempo a situação foi se agravando mas, mesmo conhecendo o filho muito bem, Eva jamais imaginaria do que ele seria capaz de fazer.

Minhas Impressões

Bom como é minha primeira vez comentando sobre filmes me perdoem por algum erro. Vou tentar evitar como sempre faço com os livros, revelar os detalhes do filme.

A história a princípio parece desconexa e sem fundamentos, mas logo no início do filme você percebe que cada cena tem ligação entre si. O filme trata explicitamente sobre o relacionamento da mãe com seu primogênito Kevin. Mas como disse na sinopse, mesmo achando que conhecia seu filho ela não poderia jamais imaginar o que ele seria capaz de fazer.

Tilda Swinton interpreta Eva majestosamente. Você consegue ver, mesmo sem fala, o que ela está sentindo, porém a estrela do filme é o Kevin (Ezra Miller) e seus antecessores que o interpretam com 3 anos e depois com 8 anos. Os três conseguem prender sua atenção na tela até entender o rumo da história.

Precisamos falar sobre o Kevin é um drama muito bem escrito com um toque de suspense que garante emoção do início ao fim. Pena eu não poder falar mais =/ Vou acabar estragando a surpresa do filme rs

Até o próximo!