Resenha: Os Cavaleiros Dos Dinossauros – volume II – Victor Milán

/Editora DarkSide Books/Resenhas/

Editora: DarkSide Books
Autor: Victor Milán
ISBN: 9788594540492
Edição: 1
Número de páginas: 448
Acabamento: Encadernado
Classificação EDS: 90 de 100 pontos
Compre: Amazon

O Paraíso é um mundo extenso, diversificado, muitas vezes cruel. Existem seres humanos no Paraíso, mas predominam os dinossauros: animais selvagens, monstros, animais de carga e de guerra. Cavaleiros blindados conduzem dinossauros para batalhar legiões de tricerátopos treinados pela guerra e suas equipes camponesas.
Karyl Bogomirsky é um cavaleiro que optou por reunir aqueles que buscam uma saída para a jornada de guerra e loucura. Mas o Império da Nuevaropa anunciou uma cruzada religiosa contra este reino pacífico e as pessoas que desejam viver em paz. Todos devem ser convertidos ou destruídos.

Minhas impressões

Pra quem leu a Resenha do livro anterior sabe que eu não gostei muito da história no primeiro volume. Isso devido a uma série de questões. Se você quiser saber do que estou falando é só ler a outra resenha aqui.

Mesmo com os ponto levantados no livro anterior, eu já havia decidido dar uma chance para o segundo volume. Para ajudar mais, recebi o segundo volume diretamente da Darkside (serie eternamente grato).

‘O mundo é um castelo de feiura’, disse o geralmente taciturno Machtigern numa voz que soou como uma roda de ferro de uma carroça passando por uma rua coberta de pedras. ‘É por isso que buscamos a Beleza,
para encontrá-la e nutri-la sempre que podemos. Até mesmo lutar por ela. Para restaurar o sagrado Equilíbrio do mundo’

No início do segundo volume, e até quase a metade da obra eu ainda estava em cima do muto, pois o autor insistia em alguns detalhes, ao meu ver, desnecessários para a trama. Exemplo disso, todo o tempo gasto com as descrições de como era a vida no Jardim. Porém outros pontos, como a narrativa das batalhas, melhorou bastante e isso me fez continuar a leitura.

‘Você não enxerga? Mesmo? Não é o real que motiva as pessoas. Não é nem o que elas pensam. É no que acreditam. De outro modo, como menestréis ganhariam a vida? As palavras certas podem distorcer até mesmo as ações mais fundamentais na mente das pessoas, de modo que o que elas lembrem seja algo diferente daquilo que aconteceu.
Você não aprendeu isso na corte do seu pai?’

Felizmente fui recompensado pelo voto de confiança.

Finalmente a trama engrenou e como citei acima, o autor melhorou bastante nas descrições das batalhas, assim como melhorou também a descrição dos dinossauros, que havia me incomodado tanto no livro anterior. Creio que essa melhora se deu, pois agora já sabíamos quem era quem na trama, já que houve o desenvolvimento dos personagens.

Antes que atingisse a beirada coberta por mato, o maravilhoso cheiro alcançou suas narinas:
Mãe!

Pois bem. Fora os pontos citados, podemos finalmente ter algumas respostas que ficaram no ar no volume I, que eu não posso comentar. Meu parecer com o segundo volume? Sim, vale à pena continuar lendo as crônicas. Espero que no próximo volume tenhamos o desfecho de algumas pontas soltas. =]

Já leu esse livro? Deixe seu comentário.

Luiz Hanfilaque