Resenha: O Homem que caiu na Terra – Walter Tevis

/Uncategorised/

Editora: Darkside Books
Autor: Walter Tevis
ISBN: 9788594540058
Edição: 1
Número de páginas: 224
Acabamento: Encadernado
Classificação EDS: 100 de 100 pontos
Compre: Amazon

Poesia e beleza de outro mundo
“O Homem que Caiu na Terra” tornou-se um verdadeiro clássico da literatura e uma das mais refinadas, sutis e delicadas ficções científicas já escritas. Publicado originalmente em 1963, ganhou reconhecimento em todo o planeta com a adaptação para o cinema dirigida por Nicolas Roeg em 1976. O filme também marcou a estreia de David Bowie no cinema encarnando o protagonista alienígena — para quem o papel parece ter sido especialmente pensado (o que não foi o caso): um ser andrógino, impúbere, alto para os padrões terráqueos, delicado, magro, polido e que tenta se adaptar à vida terrestre para sobreviver entre os humanos.

Minhas impressões

Vocês já devem ter visto em alguma resenha eu elogiando o trabalho da Darkside. Eu não precisaria me repetir, mas o trabalho deles é incrível. Tudo no livro é lindo. Desde a tipografia, até os espaçamentos, gramatura da folhas, as entre capas, a tonalidade e tipo de folhas, etc. É uma obra de arte à parte.

Eu conhecia esse título, pois sabia que David Bowie havia interpretado o protagonista no filme baseado neste livro. E convenhamos que não há título melhor para o Bowie do que O Homem que caiu na Terra.

Newton é um alienígena que vem para a Terra cumprir uma missão (que não direi qual é). Ele vem para cá munido somente do conhecimento que conseguiu acumular das transmissões de TV que seu planeta captava. Após alguns anos aqui na terra ele descobre que só isso não era o suficiente.

A trama toda gira em torno do cumprimento de sua missão e das dificuldades que ele encontra para interagir com os humanos.

Todo o livro para mim foi uma crítica aos costumes humanos, mais especificamente os hábitos americanos daquela época (apesar de não ter mudado muito). O autor expõe como nossa curiosidade pode ser boa e ruim ao mesmo tempo, assim como nossa rejeição à mudanças pode ser fatal. O autor mostra também como o “comum” pode ser brutal com o que é “diferente” isso em várias esferas da sociedade.

O final do livro deixa bem claro essas críticas e como os maus costumes humanos podem ser contagiosos. Obviamente não comentarei muito mais sobre o final para não estragar nada.

Enfim, recomendo a leitura. É um livro curto que você lerá em um ou dois dias no máximo. Outra coisa que recomendo é que realmente imagine Bowie como Newton, o protagonista. Vocês verão como esse livro foi “feito” para ele.

Já assistiu o filme ou leu esse livro? Comente suas impressões =)